PPS critica falta de planejamento do governo para Copa

Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, atribuiu o atraso nas obras à falta de planejamento da presidenta Dilma Roussef.

Comentar
Compartilhar
13 JAN 201319h08

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), atribuiu o atraso nas obras da Copa do Mundo de 2014 ao que ele considera falta de planejamento da presidente Dilma Rousseff. O jornal O Estado de S. Paulo mostrou, no domingo, que apenas 3 das 82 obras de mobilidade urbana, portos e aeroportos estão com o cronograma em dia e com a previsão de gastos mantida

O deputado afirmou que as obras têm sido conduzidas de forma improvisada. "Agora que o País precisa de uma presidente competente, preocupada com planejamento e investimento, com o olhar para o futuro, é que se vê que esse perfil não faz parte do modo petista de governar", afirmou.

Rubens Bueno lembrou que o Brasil foi escolhido em 2007 para sediar a Copa do Mundo de Futebol. "Até 2011, nada foi feito de concreto. Apenas palanque foi o que se viu", criticou. "A 'gerentona' não tem o mínimo compromisso com o planejamento nem noção do que é a relação custo/benefício", completou o deputado em referência à presidente Dilma Rousseff.

Rubens Bueno lembrou que o Brasil foi escolhido em 2007 para sediar a Copa do Mundo de Futebol.

As 82 obras constam do documento intitulado matriz de responsabilidades. Do total, 21 foram retiradas do compromisso firmado pelo governo. O orçamento de outros empreendimentos foi alterado. E 33 obras tiveram os cronogramas alterados em razão de atrasos.

Além dos problemas com as obras de mobilidade, o planejamento da Copa errou também no cálculo dos custos para construção e reforma de estádios. De acordo com documentos oficiais, os gastos já superam R$ 7 bilhões - acima dos R$ 5,3 bilhões previstos há três anos. E 91% dos custos são bancados ou financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).