PMDB aprova moção de defesa da liberdade de imprensa

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (BA) afirmou que o partido precisava dar uma resposta à pretensão do aliado

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201318h37

O PMDB aprovou neste sábado uma moção de "defesa intransigente da liberdade de imprensa". Foi uma resposta ao aliado PT, que, na véspera, decidiu iniciar uma campanha de coleta de assinaturas para apoiar um projeto de iniciativa popular sobre um novo marco regulatório das comunicações.

Responsável por apresentar a moção na convenção do PMDB, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (BA) afirmou que o partido precisava dar uma resposta à pretensão do aliado. "Não podemos permitir que uma agremiação defenda o cerceamento da liberdade de imprensa. A sociedade é devedora da imprensa, que é peça fundamental na democracia. Essa moção é em defesa do Brasil", disse Vieira Lima.

A polêmica discussão sobre o tema está parada no Ministério das Comunicações, que, recentemente, anunciou mais um adiamento do novo marco regulatório. O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou que o assunto não está na pauta do governo.

A presidenta Dilma Rousseff participa da Convenção Nacional do PMDB e condena ação dos mercadores do pessimismo (Foto: Elza Fiúza/ ABr)

Em resolução aprovada na sexta-feira, porém, o Diretório Nacional petista sustenta que "a despeito das dificuldades para a instituição de um marco regulatório para a mídia, o PT continuará lutando pelo alargamento da liberdade de expressão no País". O documento, que passou pelo crivo do PT, recebeu um nome sugestivo: "Democratização da mídia é urgente e inadiável".

Entre as mudanças desejadas pelos petistas está a legislação sobre concessões de rádio e TV e a adequação da produção e difusão de conteúdos a normas da Constituição. O PT critica o que chama de "oligopólio midiático", que faria "oposição" ao governo federal.