Paulo Alexandre defende união para solucionar problemas no Porto de Santos

O prefeito eleito de Santos participou da reunião do Conselho de Autoridade Portuária – CAP.

Comentar
Compartilhar
18 DEZ 201219h31

O prefeito eleito de Santos, deputado estadual Paulo Alexandre Barbosa participou, nesta terça (18) pela manhã, da reunião do Conselho de Autoridade Portuária – CAP. O evento aconteceu na sede do órgão e contou com a presença de empresários e representantes de sindicatos de trabalhadores ligados ao Porto de Santos.
 
Acompanhado do futuro secretário de Assuntos Portuários e Marítimos, Eduardo Lopes, Paulo Alexandre recebeu inúmeros elogios pela escolha do administrador de empresas para comandar a pasta a partir de janeiro.
 
A presença do futuro prefeito foi importante para firmar a intenção que tem de estreitar relações com o CAP, fortalecendo o trabalho realizado pelo Conselho. Paulo Alexandre disse que a relação Porto Cidade avançou muito nos últimos anos com os trabalhos desenvolvidos pelo CAP, em parceria com a Prefeitura e que interesses menores, interesses políticos partidários não podem e não devem se sobrepor aos da cidade, que estão acima de tudo.
 
“Essa vai ser a nossa filosofia. Vamos ter uma relação de parceria com o governo do Estado e com o governo Federal. Vamos buscar estabelecer a melhor relação com todos os entes para que possamos avançar nesses temas que são estratégicos e, as parcerias na área do porto são imprescindíveis. Vamos escolher pessoas qualificadas, que conheçam a realidade do porto para que possam nos apoiar na administração, a exemplo do secretário de Assuntos Portuários e Marítimos, Eduardo Lopes, que milita na área desde os 13 anos, já fez parte do CAP e conhece a realidade do Porto e suas necessidades. A equipe que estamos criando para atuar nessa área vai contemplar a diversidade de interesses do Porto e de todas as áreas representativas para que possamos avançar”, declarou o prefeito eleito.
 
Paulo Alexandre Barbosa falou ainda da importância da ligação seca entre Santos e Guarujá. “Essa é uma questão que causa polêmica, mas é importante que façamos uma reflexão da necessidade dessa intervenção para a cidade. A ligação seca é uma ideia que vem sendo discutida desde 1937, quando Prestes Maia elaborou o Plano Regional de Santos. Naquela época ele dizia que seriam necessárias três ligações secas entre Santos e Guarujá e o que vimos ao longo desses mais de 70 anos foram inúmeras discussões, inúmeras ideias, inúmeros projetos. Todos eles com uma única característica em comum, ficaram no papel. Seria muita pretensão nossa querer que apenas uma intervenção resolva todos os nossos problemas, mas o importante é somarmos esforços para que sejamos ouvidos. Tenho a convicção de que a Prefeitura de Santos vai cumprir o seu papel dentro desse processo”, concluiu.

A presença do futuro prefeito foi importante para firmar a intenção que tem de estreitar relações com o CAP (Foto: Divulgação)