Oposição venezuelana critica mistério sobre saúde de Chávez

Ramon Guillermo Aveledo afirmou que mistério sobre o estado de saúde do presidente, só aumenta os rumores e boatos.

Comentar
Compartilhar
02 JAN 201317h54

A oposição da Venezuela voltou a criticar o mistério que gira em torno da condição de saúde do presidente Hugo Chávez, que está há três semanas em Cuba, onde realizou uma cirurgia de câncer. O líder da coalizão de oposição, Ramon Guillermo Aveledo, afirmou em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (2) que as informações oferecidas pelas autoridades do governo "continuam a ser insuficientes".

Chávez não foi visto desde a operação no dia 11 de dezembro e o vice-presidente Nicolas Maduro afirmou ontem que a condição do mandatário permanece "delicada" devido a complicações que surgiram de uma infecção pulmonar. Maduro também pediu que os venezuelanos ignores os rumores sobre a condição de Chávez.

Aveledo declarou que a oposição tem sido respeitosa durante o doença do presidente, mas que "o mistério é uma fonte de rumores". "Eles deveriam contar a verdade", disse o líder da oposição, ressaltando que Maduro havia prometido dar relatórios completos sobre a condição de Chávez. Ele reiterou o pedido da oposição ao governo para que ofereça um relatório médico e disse que todos os indícios são de que o presidente não estará em condições para começar um novo mandato no dia 10 de janeiro.

Aveledo declarou que a oposição tem sido respeitosa durante o doença do presidente, mas que

Se Chávez não puder tomar posse nessa data, Aveledo disse que a constituição é clara de que o presidente da Assembleia Nacional deverá, então, assumir o poder temporariamente até que uma nova eleição seja realizada. O político também afirmou que o que acontecer no futuro da Venezuela deve ser guiado pela "verdade e pela Constituição".

Caso o presidente morra ou seja incapaz de continuar no cargo, a Constituição venezuelana afirma que uma nova eleição deve ser feita em trinta dias.