Obras de Parque Tecnológico devem iniciar este ano

Com diploma de credenciamento definitivo, prefeito pretende acelerar a estruturação da sede

Comentar
Compartilhar
08 JAN 201310h00

Santos tem o aval para desenvolver o projeto de implantação de um parque tecnológico, o que deve atrair ainda mais empresas à Cidade. O prefeito Paulo Alexandre Barbosa recebeu nesta segunda-feira (8) o diploma de credenciamento definitivo do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Luiz Quadrelli. A iniciativa será voltada para empresas dos setores de petróleo, gás natural, porto, tecnologia da informação, meio ambiente e logística.

Segundo o prefeito, na próxima semana ele deve se reunir com uma equipe para delimitar o tempo de conclusão do projeto executivo da sede do parque. Depois disso, inicia-se a fase de licitação para as obras. “Vamos trabalhar para começar a obra ainda em 2013”

O Parque Tecnológico de Santos funcionará em área de 220.000 m² entre os bairros do Valongo e Vila Mathias, onde abrigará as empresas. O Município é um dos cinco contemplados com o equipamento no Estado. As outras são São José dos Campos, Sorocaba, Ribeirão Preto e Piracicaba.

Diplomação - Secretário Luiz Quadrelli e o prefeito Paulo Barbosa. (Foto: Matheus Tagé/ DL)


Universidades da região se empenharam para a implantação do parque. De acordo com Barbosa, o Município que deseja se inscrever para receber um parque tecnológico, deve disponibilizar uma área de pelo menos 200 m². “Santos contou com a colaboração das universidades, que aceitaram ceder suas áreas como parte das instalações do parque tecnológico. Então, através dessa parceria, Santos cumpriu com o critério e acabou se enquadrando”, explica.

O prédio do Núcleo do Parque Tecnológico de Santos será construído com verba do Estado em convênio com o Município. Serão, no total, R$ 14 milhões, sendo R$ 10 milhões concedidos pelo Estado e os outros R$ 4 milhões, da Prefeitura.

Incentivos

De acordo com Quadrelli, as empresas que se instalarem no parque tecnológico serão beneficiadas com o programa Pró-Parques, projeto do Estado de incentivos fiscais. “Essas empresas terão os benefícios como a isenção do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e também na importação dos produtos”.

O Estado concedeu R$ 749 mil para compra de equipamentos e estruturação do Laboratório de Logística, Mobilidade Urbana e Implicações Ambientais (Log-Mob), que será construído próximo ao Núcleo do Parque. O Log-Mob servirá ao desenvolvimento de pesquisas e estudos de processos logísticos e mobilidade urbana.