X
Política

'No Brasil, não temos muito apreço pela organização', diz Temer

Em almoço com generais das Forças Armadas, no qual decidiu discursar de improviso, o peemedebista fez a análise quando elogiava a disciplina e o respeito às regras dos oficiais militares

O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (18) que a sociedade brasileira não tem muito apreço pela hierarquia e pela organização / Rodrigo Montaldi/DL

O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (18) que a sociedade brasileira não tem muito apreço pela hierarquia e pela organização.

Em almoço com generais das Forças Armadas, no qual decidiu discursar de improviso, o peemedebista fez a análise quando elogiava a disciplina e o respeito às regras dos oficiais militares.

"O Brasil se posicionou no mundo de maneira muito positiva em função da presença disciplinada, hierarquizada e organizada das Forças Armadas. E nós no Brasil, convenhamos, não temos muito apreço pela hierarquia, no geral, pela organização", disse.

O peemedebista disse também que não se tem no país muito apreço pelas instituições, defendendo a necessidade de se reinstitucionalizar o país. "Certa solenidade, certa cerimônia no trato entre os poderes da República é fundamental", defendeu.

No discurso, após evento de condecoração de generais, o presidente criticou o fato de gerar especulações encontros entre representantes do Executivo e do Judiciário. Segundo ele, achar que ele é capaz de influenciar um ministro é algo "desmoralizante" para o magistrado.

Desde que assumiu o Palácio do Planalto, Temer se reúne frequentemente, em encontros fora da agenda oficial, com o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes. O ministro se tornou um dos principais conselheiros do presidente sobre questões jurídicas.

"Se alguém do Executivo fala com alguém do Judiciário, já gera uma especulação, o que é desmoralizante para quem ouve. Se eu falo com alguém do Judiciário e sou capaz de influenciá-lo a ponto dele mudar uma opinião pessoal ou jurídica, é porque ele não se presta ao cargo que exerce", disse.

Em sua fala, ele exaltou a liberdade de imprensa e disse que a atuação dela como fiscalizadora é importante para ajudar a governar o país. Apesar da defesa aos veículos de comunicação, não foi permitido aos jornalistas ou cinegrafistas entrar na cerimônia.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

VOLTA

Com mais de 50 marcas autorais, 'O Coletivo' retorna a Santos em dezembro

Com a assinatura da artesã e empreendedora Aline Tolotti, O COLETIVO contará ainda com uma performance visual do Estúdio Prêo e dos artistas Ramon Arzerra e Nane Anders

Polícia

Réus por incêndio na boate Kiss vão à júri popular nesta quarta-feira

Tragédia aconteceu em janeiro de 2013, em Santa Maria (RS)

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software