Não querem apenas me manter preso, querem me calar, diz Lula a ex-ministros

Eles visitaram o petista na tarde desta quinta-feira (12) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR)

Comentar
Compartilhar
13 JUL 2018Por Folhapress08h40
Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR)Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR)Foto: Instituto Lula

Após ter sido impedido pela Justiça de conceder entrevistas e participar de atos da pré-campanha à Presidência, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reclamou a ex-ministros que está sendo silenciado.

"Eles não apenas querem me manter preso, querem me calar, impedir que o povo ouça o que eu falo", Lula teria dito aos ex-ministros Franklin Martins (secretaria de Comunicação) e Celso Amorim (Relações Exteriores).

Martins e Amorim visitaram o petista na tarde desta quinta-feira (12) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde Lula está preso desde o início de abril.

Segundo Martins, o ex-presidente está bem e tranquilo. "Não é impedindo o presidente de dar entrevista que vão segurar suas ideias. Lula está seguro de que suas ideias estão no povo", disse a jornalistas após a visita.

Segundo Amorim, Lula tratou os acontecimentos do último domingo (8) com muita tranquilidade. Naquele dia, uma guerra jurídica envolvendo o juiz Sergio Moro e o juiz federal do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), Rogério Favreto, determinou e suspendeu a soltura do ex-presidente.

O ex-chanceler afirmou que Lula está convencido de sua inocência. O ex-presidente teria dito que não trocará sua dignidade pela liberdade. 

Segundo Amorim, Lula falou muito sobre a soberania nacional. "Está indignado com a lapidação total do nosso patrimônio. Sustenta que é fundamental para a democracia defender a soberania", disse.