Banner gripe

'Não admitimos um brasileiro contra o outro', diz Temer

O presidente citou ainda a queda da inflação e dos juros a 'patamares suportáveis', além da retomada do emprego nos últimos seis meses

Comentar
Compartilhar
21 OUT 2017Por Estadão Conteúdo17h30
Temer disse que o Brasil passa por um momento em que os brasileiros devem trabalhar juntosFoto: Agência Brasil

Em cerimônia para inauguração de um abatedouro de peixes em Palotina, no Paraná, o presidente Michel Temer aproveitou a plateia composta por membros da cooperativa C Vale para dizer que o Brasil passa por um momento em que os brasileiros devem trabalhar juntos.

"Este conceito de cooperativa serve muito a nós, é muito forte para o nosso País. É o que precisamos, brasileiro cooperar com brasileiro. Não admitimos um brasileiro contra o outro. A sensação é que o Brasil quer isto, quer cooperar", declarou o presidente.

Em sua fala, Temer citou a queda da inflação e dos juros a "patamares suportáveis", além da retomada do emprego nos últimos seis meses. "Hoje, examinando esta multidão de entusiastas da C Vale, entusiasmados pela atividade que desenvolvem, entusiasmados com o Brasil, volto para Brasília dizendo que o Brasil definitivamente voltou", disse Temer, aplaudido pelos presentes.

A reação do público, explicou, é um sinal de que o País está no caminho certo. "Ao longo do tempo, nós, da vida pública, nos acostumamos a detectar e analisar os aplausos. Em certas solenidades, o aplauso é cerimonioso, em outras protocolar, em outras há alguém que puxa a palma", apontou. "Aqui não, o aplauso é verdadeiro porque vem do coração."

Já no encerramento do discurso, Temer exaltou o papel do agronegócio na sustentação do PIB brasileiro em 2017. "Não fosse a atuação do agronegócio, estaríamos numa situação muito negativa. Isso se deve ao trabalho dos senhores, ao trabalho que se faz no campo", finalizou o mandatário.

Colunas

Contraponto