Na Colômbia, europeus e latinos devem se unir para conter armas

O presidente Juan Manuel Santos disse que vai tentar negociar um acordo entre os líderes políticos europeus e da América Latina.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201311h38

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que vai tentar negociar um acordo  entre os líderes políticos europeus e da América Latina, nas reuniões da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), em Santiago, no Chile, na próxima semana.

Para Santos, é fundamental discutir a mudança na política das Nações Unidas sobre controle de armas. A presidenta Dilma Rousseff confirmou participação na reunião.

O debate ocorre no momento em que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apresenta a proposta norte-americana com 23 sugestões para contenção na venda e comercialização de armas de fogo no país.

As medidas, nos Estados Unidos, são sugeridas um mês depois de ocorrer um massacre em uma escola infantil, em Connecticut, que 26 pessoas morreram, a maioria, crianças.

Para o presidente é fundamental se discutir mudanças na política das Nações Unidas sobre controle de armas. (Foto: Divulgação)