X

Política

Na Argentina, Bolsonaro diz que Maduro 'deu lição de moral' no Brasil com voto impresso

Máquina então imprimia o resultado num papel, que tinha que ser depositado na urna

JÚLIA BARBON - Folhapress

Publicado em 08/12/2023 às 21:20

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

As críticas ao sistema eleitoral brasileiro foram um dos dois motivos que levaram Bolsonaro a estar inelegível por oito anos / Valter Campanato/Agência Brasil

Em viagem à posse de Javier Milei na Argentina, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar as urnas eletrônicas no Brasil e fez um raro elogio ao ditador venezuelano Nicolás Maduro pelos votos impressos no plebiscito do último domingo (3) sobre a anexação de Essequibo, parte do território da Guiana.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

"Nem na Venezuela se tem o voto eletrônico. Nesse referendo agora de Essequibo, que é um assunto bastante polêmico, o Maduro deu uma lição de moral no Brasil falando: olha, aqui a eleição é na máquina, mas não é como em outros países, aqui tem o papel também", afirmou.

"Até que enfim o Maduro acertou uma, né. Nunca acertou nada na vida. Acertou uma que é o voto no papel", disse ele em entrevista ao jornalista Eduardo Feinmann na rádio Mitre, do grupo Clarín, a quem Milei deu uma de suas primeiras entrevistas após vencer as eleições. Eduardo Bolsonaro, deputado federal e seu filho (PL-SP) fez o papel de intérprete.

Na Venezuela, o eleitor comprovava sua identidade com a impressão digital, em seguida votava "sim" ou "não" às perguntas em uma máquina de votação, verificava as respostas na tela e pressionava "votar". A máquina então imprimia o resultado num papel, que tinha que ser depositado na urna.

As críticas ao sistema eleitoral brasileiro foram um dos dois motivos que levaram Bolsonaro a estar inelegível por oito anos, podendo concorrer apenas nas eleições de 2030. A decisão foi tomada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em junho, devido a uma reunião com embaixadores estrangeiros feita pelo ex-presidente em julho de 2022.

No encontro no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, a menos de três meses da eleição, Bolsonaro fez afirmações falsas e distorcidas sobre o processo eleitoral, alegando estar se baseando em dados oficiais, além de buscar desacreditar ministros do TSE.

Bolsonaro deu as declarações na entrevista após ser questionado pelo jornalista argentino sobre a indicação do presidente Lula (PT) de Flávio Dino, hoje ministro da Justiça, ao STF (Supremo Tribunal Federal) —Dino será sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça no Senado na próxima quarta (13).

"Inclusive o Flávio Dino, quando perdeu eleições em 2010 aproximadamente, ele criticava as urnas, falava que não eram confiáveis e eram possíveis de serem fraudadas. E por eu ter feito críticas com comprovação no mesmo sentido também foi uma causa da minha inelegibilidade. Sobre o voto eletrônico puro, sem qualquer papel", disse.

Bolsonaro chegou a Buenos Aires na noite desta quinta (7) a convite de Milei e deverá ter tratamento de chefe de Estado em sua posse, neste domingo (10). A ideia da equipe do argentino é que o brasileiro esteja presente nas cerimônias fechadas do Congresso Nacional e da Casa Rosada, mesmo sem exercer nenhum cargo público no momento.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

'Há sobras de caixa para investirmos em Cultura', diz Presidente da Petrobrás

Ele ainda comentou, que desde o inicio do governo Lula estão sendo pensado projetos que já somam R$ 150 milhões investidos pelo patrocínio da Petrobras

Nacional

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Com 40% de perdas, Roraima lidera ranking dos que mais desmataram

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter