Moro tenta barrar entrada de torcedores violentos para Copa América

A competição vai ser realizada no Brasil de 14 de junho a 7 de julho

Comentar
Compartilhar
14 MAI 2019Por Folhapress19h01
Sergio Moro baixou portaria determinando o impedimento da entrada de torcedores violentos que venham para os jogos da Copa AméricaFoto: Agência Brasil

O ministro Sergio Moro (Justiça) baixou portaria nesta segunda-feira (13) determinando o impedimento da entrada de torcedores violentos que venham para os jogos da Copa América. A competição vai ser realizada no Brasil de 14 de junho a 7 de julho.

A publicação no Diário Oficial da União estabelece que os servidores com atuação no controle fronteiriço e em atividades de fiscalização migratória nos portos, aeroportos internacionais e pontos de fiscalização terrestres sejam rigorosos.

Assim, a aplicação da medida de impedimento deverá ser feita durante o torneio a todo estrangeiro cujo nome conste nos sistemas de controle migratório como membro de torcida envolvida com violência em estádios.

Esta intenção de reforçar a segurança nas fronteiras e aumentar o rigor sobre os torcedores envolvidos em brigas nos estádios não é uma novidade.

Em 2014, durante a realização da Copa do Mundo no Brasil, a Polícia Federal fez uma operação semelhante para fiscalizar as torcidas conhecidas como barra bravas, o que não impediu conflitos envolvendo torcedores de outros países.

A edição deste ano da Copa América terá cinco sedes: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre. Para o jogo de estreia, a seleção brasileira usará camisa branca , em homenagem ao primeiro título do Brasil na competição, em 1919.

Na primeira fase, o Brasil faz dois dos seus três jogos em São Paulo. O Morumbi, no dia 14 de junho, receberá a Bolívia. Depois, no dia 22, a seleção brasileira enfrenta o Peru na Arena Corinthians, pela terceira rodada. O segundo jogo, contra a Venezuela, no dia 18, será disputado na Fonte Nova, em Salvador.

Colunas

Contraponto