Monti diz que pode liderar coalizão, mas sob condições

Depois de ocupar o cargo de primeiro ministro por três meses, Monti pediu demissão oficialmente na sexta-feira (21).

Comentar
Compartilhar
23 DEZ 201220h17

O primeiro-ministro interino da Itália, Mario Monti, anunciou hoje (23) que não será candidato nas eleições gerais programadas para fevereiro, mas disse que permanecerá disponível para a formação de um futuro governo, embora sob suas condições.

“Primeiro-ministro? Sim, nas minhas condições”, disse Monti após entrevista coletiva hoje pela manhã, sem especificar, porém, quais seriam elas. A declaração foi publicada pelo diário italiano Corriere della Sera. Ontem, o presidente da Itália, Giorgio Napolitano dissolveu o Parlamento do país e convocou novas eleições para os dias 24 e 25 de fevereiro de 2013.

Depois de ocupar o cargo de primeiro ministro por três meses, Monti pediu demissão oficialmente na sexta-feira, tão logo o Parlamento adotou o orçamento para 2013, aprovado por 309 deputados. Ele decidiu deixar o comando do país depois de ter perdido o apoio do partido PDL, de Silvio Berlusconi, no Parlamento. Monti permanece no cargo até data das próximas legislativas.