Ministro venezuelano diz que contou piadas e riu com Chávez em Cuba

Em mensagens divulgadas no twitter, Elias Jaua, afirmou que em visita ao presidente Hugo Chávez, eles contaram piada e deram risadas.

Comentar
Compartilhar
22 JAN 201310h45

O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Elias Jaua, afirmou na segunda-feira (21) que se encontrou com Hugo Chávez em Havana, onde o líder está hospitalizado após realizar uma cirurgia para tratar de um câncer. Em uma série de mensagens divulgadas no Twitter, o diplomata contou que os dois contaram piadas e deram risadas durante o encontro, passando uma impressão positiva sobre o estado de saúde de Chávez, que já está há mais de seis semanas longe do público.

"Saindo de um encontro com nosso presidente comandante Hugo Chávez. Nós contamos piadas e rimos", disse Jaua em uma primeira mensagem. "Ele me pediu para dar ao povo e às Forças Armadas seus agradecimentos por tanta lealdade", acrescentou.

Jaua também disse que Chávez tomou decisões sobre "a participação" dele em uma reunião no Chile e estava "muito feliz, porque o sonho bolivariano continua avançando", fazendo uma referência ao herói da independência do século 19, Simon Bolívar, homônimo da Revolução Bolivariana de Chávez.

Hospitalizado em Havana, há mais de um mês para o tratamento de combate ao câncer, Hugo Chávez não é visto em público desde o começo de dezembro. (Foto: Divulgação)

Mais cedo, Argenis Chávez, um dos cinco irmãos do mandatário e presidente da National Electric Corporation, disse em um comunicado do governo, que todos estavam "ansiosos pela volta dele". Anteriormente, ele havia dito à Associated Press que esperava que o presidente voltasse à Venezuela nos próximos dias Mas, na declaração de ontem, ele afirmou que estava incorreto e que os responsáveis por fornecer atualizações oficiais sobre a saúde de Chávez são o vice-presidente Nicolás Maduro e o ministro da Informação Ernesto Villegas.

"A decisão sobre o retorno do chefe de Estado ao país está nas mãos da equipe médica que o acompanha", disse Argenis Chávez, na declaração. O presidente não foi visto ou ouvido publicamente desde que ele viajou para Cuba em 10 de dezembro. As informações são da Dow Jones.