Ministério passa a dar registro a médicos estrangeiros

No primeiro momento, deverão receber o documento 680 integrantes do Mais Médicos - entre eles, 11 profissionais que haviam ficado de recuperação no primeiro curso

Comentar
Compartilhar
22 OUT 201320h50

O Ministério da Saúde passa a dar ainda esta semana o registro para profissionais estrangeiros atuarem no Programa Mais Médicos. A atribuição está prevista na lei que regula o programa, sancionada nesta terça-feira, 22, pela presidente Dilma Rousseff. A carteira de registro terá itens de segurança para dificultar a falsificação, como a marca-d'água da Casa da Moeda, visível apenas sob a luz e letras em alto relevo com os dizeres "Ministério da Saúde".

No primeiro momento, deverão receber o documento - que autoriza estrangeiros a trabalhar nas áreas definidas pelo governo por um período de três anos -, 680 integrantes do Mais Médicos - entre eles, 11 profissionais que haviam ficado de recuperação no primeiro curso de acolhimento e que agora foram aprovados.

Também deverão receber o registro nesta fase os 2.180 formados no exterior que participam da segunda etapa do programa. Até agora, dos 1.232 médicos que estão em atividade, 748 são brasileiros. No acordo de cooperação firmado entre Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e o governo brasileiro, até o fim do ano o número de médicos cubanos recrutados para trabalhar no País deve chegar a 4 mil.

O Ministério da Saúde passa a dar o registro para profissionais estrangeiros atuarem no Programa Mais Médicos (Foto: Divulgação)

A expectativa do governo é a de que até abril 12 mil médicos estejam atuando no programa. O representante da Opas no Brasil, Joaquim Molina, afirmou que ainda este ano o contrato com a administração federal do Brasil deverá ser renovado, pois tem duração até o início de 2014. As negociações, além da ampliação do prazo, deverão abordar também o recrutamento de mais profissionais. O número e a data para a vinda de uma nova leva de médicos cubanos, no entanto, ainda não está definida.