Mauro Orlandini faz ponte entre Estado e prefeituras da região

O ex-prefeito afirma que a iniciativa tem como objetivo os munícipes e atender as demandas das cidades

Comentar
Compartilhar
17 OUT 2018Por Da Reportagem09h00
Em visita ao Diário, Orlandini também comentou assuntos relacionados a BertiogaEm visita ao Diário, Orlandini também comentou assuntos relacionados a BertiogaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Poucos prefeitos paulistas sabem mas, há três meses, o ex-prefeito de Bertioga, Mauro Orlandini responde pela Subsecretaria do Estado nas Relações com os Municípios. A pasta serve como ponte entre os governos municipais e Estadual e Orlandini responde ao secretário da Casa Civil, Aldo Rebelo.

“No espaço, os prefeitos podem refazer ofícios, obter informações, reeditar projetos, enfim. Eu sou um ponto de apoio e faço a liga com os prefeitos, baseada nos meus 12 anos de experiência como prefeito”, ­afirma Orlandini.

O ex-prefeito afirma que a iniciativa tem como objetivo os munícipes e atender as demandas das cidades. “Os processos acabam sendo agilizados. Grande parte dos municípios já estão sendo beneficiados, principalmente no quesito recapeamento asfáltico. Os valores dos projetos variam de R$ 200 mil a R$ 4 milhões. O valor depende do número de habitantes”, afirma o ex-prefeito, que revela que a pasta não atrapalha o trabalho do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), mas o complementa. “Vou deixar um relatório das principais requisições dos ­prefeitos”.

Em visita ao Diário, Orlandini comentou assuntos relacionados a Bertioga, como a questão do fornecimento de água e a transposição do Rio Itapanhaú, que ela acredita que só será definida após a finalização de todos os estudos técnicos necessários. “Quando prefeito, eu consegui implantar quatro reservatórios em parceria com a Sabesp. Existe mais um projetado e redes de tratamento de esgoto. Com relação à transposição, é preciso que todos os estudos sejam concluídos. É bom que fique claro que eu assinei os estudos e não o início das obras”.

Com relação ao desligamento de servidores comissionados por conta de decisão judicial após recomendação do órgão especial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), que considerou leis que tratam da estrutura da Administração aprovadas no governo anterior inconstitucionais, Orlandini também acredita que o assunto deve ser discutido com o Ministério Público e toda a sociedade.