X
Política

Marcus De Rosis fecha com mais 12 e lança chapa

Peemedebista vinha costurando apoios há 18 meses. Grupo assinou documento e declarou que posição não mudará até o próximo dia 15

Nove vereadores da base de apoio do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), dois prestes a aderir ao bloco governista (os socialistas Benedito Furtado e Igor Martins) e os dois da oposição (os petistas Evaldo Stanislau e Adilson Júnior). Desta forma foi composta e apresentada ontem a chapa encabeçada por Marcus De Rosis (PMDB) para concorrer à sucessão de Sadao Nakai (PSDB) na presidência da Câmara, no dia 15 de dezembro.

Além de Marcus De Rosis, vice-líder do Governo Municipal no Legislativo, os demais governistas são os peemedebistas Manoel Constantino e Roberto Oliveira Teixeira, os democratas Douglas Gonçalves e Kenny Mendes, Sérgio Santana (PTB), Hugo Duppre (PSDB), José Teixeira Filho, o Zequinha Teixeira (PRP), e Marcelo Del Bosco (PPS).

A tônica dos discursos dos que aderiram à chapa foi a de mostrar que a formação do Grupo dos 13 não significa uma rebelião frente ao Governo Municipal – isso porque o líder do prefeito, o vereador José Lascane (PSDB), também se anunciou como candidato a presidente.

Grupo se reuniu no terceiro andar do Castelinho, sede do Legislativo (Foto: Luiz Torres/DL)

Outra ênfase do encontro foram as falas de que, no grupo, não haverá mudança de posição. Em um passado não recente do Legislativo, as traições – com vereador assinando a adesão em até duas chapas – eram praxe. “Palavra dada é flecha lançada. Não tem volta”, afirmou Sérgio Santana.

Enquanto Adilson Júnior assinalava que todos os vereadores foram procurados para aderirem ao grupo, Benedito Furtado comentava que acredita que os favoráveis a José Lascane poderão se juntar ao hoje Grupo dos 13.

De Rosis foi diplomático ao discursar. Não criticou o atual presidente da Casa, mas ressaltou a necessidade de impor à Câmara “um novo modelo de gestão”. Quanto à relação com o Executivo, o peemedebista bateu na tecla que ela será de “respeito”. E repetiu a sua já clássica frase: “Ser aliado não significa ser alienado”, para depois concluir que “os projetos do prefeito de interesse à sociedade serão aprovados”.

Recorde é dele

O peemedebista já é o recordista por ter presidido o Legislativo santista por três vezes, nos biênios 1995/1996, 2007/2008 e 2009/2010. 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Dois PMs morrem com suspeita de febre maculosa durante curso

Vítimas eram instrutores da COPC, que teve uma fase de curso em área de mata. Casos seguem em análise pela Fiocruz

Se já estava ruim, vai piorar! Petrobras anuncia novo aumento nas refinarias

Reajuste passa a valer nesta terça-feira (26) para gasolina e diesel

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software