Mandato de Ademário é julgado pelo TSE

“Eu estava sem cargo à época. Houve uma reunião em caráter privado”, defende-se o parlamentar

Comentar
Compartilhar
27 ABR 201401h26

O vereador de Cubatão Ademário da Silva Oliveira (PSDB) corre o risco de perder o mandato em uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A denúncia é de uso da máquina pública durante a campanha. O parlamentar nega qualquer irregularidade e afirma estar tranquilo e à espera de uma decisão favorável do órgão.

A denúncia apresentada pela Coligação “Pra Cubatão continuar mudando” dá conta de que ele, durante a campanha de 2012, teria usado sua influência na Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa ligada à Secretaria de Estado da Habitação, para promover uma reunião de captação de votos em um imóvel do Consórcio Etemp Paez de Lima, que prestava serviço à CDHU.

“Eu estava sem cargo à época. Houve uma reunião em caráter privado”, defende-se o parlamentar.

Vereador diz estar tranquilo com relação à decisão do TSE (Foto: Divulgação)

As empregadas desse consórcio teriam de comparecer a uma reunião marcada para o dia 21 de setembro de 2012 sob pena de corte do ponto e demissão.

Em contato com o Diário do Litoral, Ademário da Silva Oliveira ressalta que a denúncia foi rejeitada, por unanimidade, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Embora tenha obtido vitória nessa instância, a Coligação “Pra Cubatão continuar mudando” entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde o ministro João Otávio de Noronha acolheu os recursos. “Isso é de praxe entre desembargadores. É normal”, afirma Ademário.