Levy diz a governador do RS que não há previsão para liberar repasses

Após participar de reunião com o ministro em Brasília, Sartori disse a jornalistas que o governo federal deve cerca de R$ 200 milhões ao Rio Grande do Sul

Comentar
Compartilhar
23 ABR 201514h58

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse nesta quinta-feira, 23, ao governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, que não há espaço fiscal para liberar recursos para o Estado, nem previsão de quando verbas em atraso da Lei Kandir e do Fundo de Exportação (FE) serão repassadas.

Após participar de reunião com o ministro em Brasília, Sartori disse a jornalistas que o governo federal deve cerca de R$ 200 milhões ao RS. "Por enquanto, não existe perspectiva de repasses mas a conversa vai continuar. Estamos tentando criar condições para reverter o quadro de dificuldade financeira vivido pelo Estado", afirmou.

O Rio Grande do Sul enfrenta dificuldades para pagar a folha salarial de abril e compromete hoje 75,5% de sua receita corrente líquida com o pagamento de pessoal - o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 49%. Segundo Sartori, dada a negativa de Levy em relação aos recursos federais, será feita uma reunião na tarde desta quinta-feira no Estado para analisar alternativas para pagar o funcionalismo. "Vamos continuar fazendo o ajuste internamente", completou.

Hoje, Levy tem na agenda encontros com vários governadores que têm na pauta pedidos de recursos. Mais cedo, o ministro se encontrou com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e, no final da tarde, receberá o governador de Goiás, Marconi Perillo.

Joaquim Levy disse que não há previsão para liberar repasses (Foto: Divulgação)