Kerry quer que Rússia apoie libertação de observadores

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, o secretário condenou ainda os "provocativos" movimentos das tropas russas

Comentar
Compartilhar
26 ABR 201418h49

O secretário de Estado norte americano, John Kerry, está pressionando o governo russo para que o país apoie os esforços para a libertação dos observadores internacionais detidos por forças pró-Rússia no leste da Ucrânia.

Kerry disse ao chanceler russo, Sergey Lavrov, em telefonema neste sábado, que os Estados Unidos também estão preocupados com as ações da Rússia, que estão "minando a estabilidade, segurança e unidade" na Ucrânia.

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, o secretário condenou ainda os "provocativos" movimentos das tropas russas ao longo da fronteira com a Ucrânia, o apoio de Moscou às forças separatistas e a "retórica inflamatória" da Rússia.

Kerry também solicitou que a Rússia apoie e não "denigra" os esforços da Ucrânia para estabilizar o país.

O secretário de Estado norte americano, John Kerry, está pressionando o governo russo para que o país apoie os esforços para a libertação dos observadores internacionais detidos por forças pró-Rússia no leste da Ucrânia (Foto: Bredan Smialwoski)

A insurgência pró-Rússia acusa a equipe alemã de observadores de ser espiã da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Os Estados Unidos e as outras potências do G-7 (Alemanha, Reino Unido, Canadá, França, Itália e Japão), assim como os países da União Europeia, estudam novas sanções econômicas contra a Rússia, devido às ações de Moscou na Ucrânia.