SEDUC

Kassab diz que Dilma poupa área social em ajuste

O ministro das cidades afirmou que sua pasta não é das mais afetadas, por executar projetos considerados "investimentos sociais"

Comentar
Compartilhar
15 FEV 201511h09

O ministro das cidades, Gilberto Kassab, admitiu as dificuldades de orçamento trazidas pelo ajuste fiscal liderado pela equipe econômica de Dilma Rousseff, mas afirmou que sua pasta não é das mais afetadas, por executar projetos considerados "investimentos sociais". Em conversa no sambódromo do Anhembi, o ministro disse ainda que o ajuste, apesar de difícil, é necessário.

Perguntado sobre as reclamações na base aliada do governo pelo protagonismo dado ao PSD neste início de segundo mandato, Kassab lembrou o apoio dado a Dilma na eleição. "Eu acredito muito na democracia que pressupõe a governabilidade por parte daqueles que ajudaram a vencer as eleições", lembrou o presidente nacional do PSD, primeiro partido a apoiar formalmente a candidatura de Dilma à reeleição, ainda em 2013.

O partido - que apoiou Dilma nacionalmente, mas teve seus diretórios estaduais liberados - garantiu que há união no apoio ao governo no Congresso.

Kassab disse ainda que o ajuste, apesar de difícil, é necessário (Foto: Agência Brasil)

Carnaval

Ao chegar ao camarote da prefeitura no sambódromo, Kassab foi questionado sobre sua opinião em relação ao uso de dinheiro público na promoção de eventos como o carnaval. Depois de elogiar o crescimento da festa em São Paulo, o ex-prefeito disse acreditar na parceria com a iniciativa privada. "O importante é que o carnaval tenha cada vez mais parceria para que o dinheiro (público) possa ser utilizado com saúde e educação. E é o que vem acontecendo", elogiou Kassab.

Kassab é um dos poucos políticos no camarote da Prefeitura neste segundo dia de desfiles. A maioria dos secretários municipais e o prefeito Fernando Haddad não devem comparecer ao sambódromo do Anhembi.