Justiça Eleitoral analisa denúncia contra ex-secretário de Guarujá

Promotor dos Direitos Constitucionais arquivou a denúncia contra Edilson Dias de Andrade

Comentar
Compartilhar
09 FEV 201320h40

A suposta prática de nepotismo na Secretaria de Ação Social da Prefeitura de Guarujá e em frentes de trabalho do Programa FelizCidade de Auxílio-Desemprego, está sendo apurada pela Promotoria de Justiça Eleitoral do Município. A primeira representação contra o ex-secretário municipal de Ação Social, Edilson Dias de Andrade, exonerado do cargo em abril para se candidatar a vereador pela Coligação PT-PC do B, foi arquivada pelo promotor de Justiça dos Direitos Constitucionais.

Edilson Dias é acusado de supostamente indicar parentes para cargos de confiança na Secretaria de Ação Social enquanto era titular da pasta e permitir que essas pessoas indicassem conhecidos para ocupar cargos nas frentes de trabalho. A denúncia foi feita ao Ministério Público Eleitoral e ao Ministério Público da Cidadania pelo técnico em transportes aposentado, Valmir Soares da Rocha.

Em sua segunda representação nº 446/2008, protocolada na Promotoria de Justiça Eleitoral, no último dia 15, consta que o promotor dos Direitos Constitucionais determinou o arquivamento da denúncia alegando que “havia sido ultrapassado o certame eleitoral e que o representado, Sr. Edilson Dias não foi eleito ao cargo de vereador”.

Porém, de acordo com Valmir Rocha, Edilson Dias é o primeiro suplente de sua coligação na Câmara de Guarujá e, na representação, o autor da denúncia solicita à Justiça Eleitoral que proceda investigação judicial eleitoral a “fim de se apurar eventual abuso de poder no certame”. Na representação ele pede ainda a inelegibilidade de Edilson Dias e a anexação do processo nº 423/2008, protocolado na Promotoria dos Direitos Constitucionais, que foi arquivado.

Procurado pelo DL no início do mês, o ex-secretário confirmou a nomeação de uma de suas irmãs, Adriana Vieira dos Santos Andrade, e que outras 48 pessoas foram indicadas para assumir cargos na Secretaria de Ação Social, porém, negou a existência de irregularidades no período em que foi secretário. As indicações, segundo ele, foram feitas pelo Diretório do PT de Guarujá e que, cerca de 80% dos indicados são filiados ao partido. A reportagem foi publicada no DL, no último dia 13.