Homem foge de barulho do vizinho, vai parar em Curitiba e desaparece

Última aparição do designer gráfico, morador de Praia Grande, foi em uma igreja no Sul, onde sua mochila foi encontrada

Comentar
Compartilhar
15 SET 2021Por Da Reportagem16h40
Última aparição do designer gráfico Cassio Felipe Moreira foi em uma igreja em CuritibaÚltima aparição do designer gráfico Cassio Felipe Moreira foi em uma igreja em CuritibaFoto: Arquivo Pessoal

A família do designer gráfico Cassio Felipe Moreira, de 31 anos, está desesperada! O rapaz está sem dar notícias para a família desde o último dia 6, quando fez sua última aparição em uma igreja de Curitiba, no Paraná.

Segundo a aposentada Vera Lucia de Oliveira, moradora de Praia Grande, o filho deixou sua residência no bairro Solemar por volta das 11h. Ela acrescentou ainda ele sofre com problemas relacionados a depressão. Recentemente, Cassio teria sido desligado da empresa que prestava serviços.

No entanto, o barulho vindo de uma casa de festas, localizada em frente a residência da família, virou o gatilho para que o designer gráfico pedisse uma motorista por aplicativo.

A mãe aguardou por notícias por alguns dias até mandar mensagem no dia 8, perguntando onde ele estava e quando retornaria. Segundo ela, Cassio respondeu que estava bem e que voltaria no dia seguinte. Ele ainda informou que estaria em Joinville e ainda precisaria voltar a Curitiba.

Depois disso, a última notícia que a moradora de Praia Grande recebeu foi que o filho deixou uma mochila com seus pertences em uma igreja localizada na capital paranaense. Após saber sobre a situação, uma familiar de Vera - que mora próximo ao local que Cassio foi visto pela última vez - registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP). A parente ainda foi até a igreja onde, segundo relatos, o designer gráfico chegou a rezar no local por cerca de 30 minutos.

A família tem buscado ajuda, sem muito sucesso, junto às rodoviárias localizadas na Baixada Santista, com a empresa de motoristas por aplicativo para saber como o designer gráfico chegou em outro estado e agências bancárias para conseguir ter acesso ao extrato da conta do filho. A mãe de Cassio também não conseguiu ajuda com a polícia de Praia Grande já que o caso foi registrado primeiramente em outro estado.