Hillary Clinton dá entrada em hospital

Secretária de Estado norte-americana de entrada no hospital com um coágulo.

Comentar
Compartilhar
01 JAN 201300h30

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, permanece hospitalizada nesta segunda-feira (31) em Nova York em função de uma trombose, um duro golpe para um dos integrantes mais populares da administração de Barack Obama e que será substituída em breve pelo senador John Kerry.

Nenhuma outra notícia sobre seu estado de saúde foi divulgada nesta segunda-feira.

A princípio, Hillary, de 65 anos, devia retornar nesta segunda ao Departamento de Estado, depois de uma série de problemas de saúde desde sua volta de uma viagem de mais de três semanas pela Europa e menos de um mês antes de entregar seu cargo a John Kerry, designado por Obama para ocupá-lo durante seu segundo mandato.

Hillary Clinton foi hospitalizada depois que os médicos detectaram um coágulo sanguíneo após uma concussão cerebral provocada por um acidente há algumas semanas, informou Philippe Reines, auxiliar da chefe da diplomacia dos Estados Unidos.

Clinton sofreu um mal-estar estomacal no início do mês que provocou um desmaio e uma concussão cerebral na queda.

A chefe da diplomacia americana "está sendo tratada com anticoagulantes e está internada no New York Presbyterian Hospital para que a medicação seja monitorada nas próximas 48 horas", limitou-se a informar Reines.

"Os médicos avaliarão suas condições, incluindo outras situações associadas à concussão. Eles determinarão se outra ação será necessária", disse.

Clinton está afastada do gabinete desde sua última viagem ao exterior, em 7 de dezembro, mas os auxiliares afirmaram que ela trabalhava de casa.

A ausência da vida pública provocou críticas dos opositores, para quem a secretária de Estado tentava evitar um testemunho na investigação do Congresso sobre o ataque ao consulado dos Estados Unidos em Benghazi, Líbia.

Segundo o site Buzzfeed, a secretaria de Estado está sendo tratada no nono andar do hospital, denominado "área VIP", onde seu marido foi submetido a uma cirurgia de bypass em 2004.

Hillary está sendo tratada e vai ficar em observação por 48 horas. (Foto: Divulgação)