X
ELEIÇÕES 2022

Haddad, sobre a Fiesp: 'O tempo coloca as instituições no rumo certo'

Pré-candidato do PT participou de evento na sede da Fiesp e relevou o fato de a entidade ter tido papel relevante no impeachment de Dilma

Fernando Haddad, à direita, ao lado de Emidio de Souza na sede da Fiesp / Bruno Hoffmann

O pré-candidato ao governo paulista Fernando Haddad (PT) afirmou na manhã desta quarta-feira que o atual presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes, tem "grande espírito público" e que o tempo colocou a instituição no caminho certo.

"Eu não condeno instituições. As instituições ficam e as pessoas passam. Hoje, a Fiesp está sob uma nova direção, conheço o Josué há muito tempo e o pai dele [o ex-vice-presidente José de Alencar] há mais tempo ainda. São pessoas de grande espírito público e vontade de cooperar", disse Haddad.

A afirmação foi feita após a reportagem da Gazeta questionar o pré-candidato como seria sua relação com a entidade, que teve um papel relevante na campanha pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), caso seja eleito governador de São Paulo.

Por diversas vezes, lideranças petistas chamaram a Fiesp de "golpista" pelo apoio ao processo que culminou na perda de mandato de Dilma, em 2016.

"A Fiesp, sob essa direção, assinou, inclusive, uma carta pela democracia. O tempo coloca as instituições no rumo certo. Aquela diretoria à época julgou que aquele era o caminho, e o desastre está aí. Acho que houve uma revisão importante do posicionamento", completou.

O petista participou na manhã desta quarta de um encontro na sede da Fiesp, na avenida Paulista, e respondeu a uma série de questionamentos de representantes da instituição.


Aos repórteres, ao fim do evento, Haddad também disse que ainda não decidiu quem será o seu pré-candidato ou a sua pré-candidata a vice.

No dia anterior, ele disse a jornalista que a ex-ministra Marina Silva (Rede) não aceitou compor sua chapa na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. A acreana deve concorrer à Câmara dos Deputados.

"Fiz chegar ela esse desejo de setores do PT e de setores do PSOL de que considerasse a hipótese. Mas ela julgou que o papel dela no Congresso é importante em virtude do que está acontecendo na Amazônia", explicou.

Hoje, dois nomes do PSB aparecem como favoritos para compor a chapa com Haddad: a médica Marianne Pinotti e o ex-prefeito de Campinas, Jonas Donizette. 

A possibilidade da escolha pela liderança campineira, porém, se enfraqueceu nas últimas semanas, e a tendência é que Haddad opte por uma mulher. Há outros partidos que também pleiteam indicar o vice.

Nesta quarta, o Pros deve anunciar que passa a apoiar Haddad em São Paulo.


"Felizmente, não é por falta de alternativas, mas porque temos bons nomes na coalização que foram apresentados pelos seus respectivos partidos", disse Haddad, mantendo o mistério apesar da insistência dos repórteres sobre o tema do ou da vice.

Questionado pela reportagem se o nome seria certamente o de uma mulher, ele respondeu: "Até ontem, era. Hoje está aberto".

Fernando Haddad disse também que deve concluir o Programa de Governo até esta quarta-feira, e que o documento será revelado ao público até a próxima semana. O programa está sendo coordenado pelo deputado federal Emidio de Souza.

Leia mais em: https://www.gazetasp.com.br/estado/fernando-haddad-sobre-a-fiesp-nao-condeno-instituicoes/1113172/

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Polícia Civil prende acusado de assalto em São Vicente

O crime aconteceu em 2017 e o suspeito estava foragido até a sua prisão, nesta quarta-feira (10)

GASTRONOMIA

Conheça 5 restaurantes para provar comidas do Oriente Médio em SP

Uma nova geração de restaurantes árabes que tem dado o que falar

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software