Haddad se diz 'esperançoso' com sentimento nas ruas

Haddad aposta no discurso de que é possível reverter a vantagem de dez pontos que seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), tem sobre ele de acordo com a pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (27).

Comentar
Compartilhar
28 OUT 2018Por Folhapress13h25
O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, votou pouco antes das 10h30 deste domingo (28) em uma escola na zona sul de São Paulo.O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, votou pouco antes das 10h30 deste domingo (28) em uma escola na zona sul de São Paulo.Foto: Divulgação/FP

O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, votou pouco antes das 10h30 deste domingo (28) em uma escola na zona sul de São Paulo ladeado por apoiadores que, com flores e guarda-chuvas coloridos, cantavam e gritavam palavras de ordem de apoio ao petista.

Alguns opositores, moradores de prédios vizinhos ao colégio eleitoral, saíram nas suas varandas e bateram panela em oposição ao herdeiro de Lula.

Haddad disse estar "esperançoso" com o que chamou de uma "forte tendência de alta" nas pesquisas. Segundo o petista, há muita gente nas ruas "para defender o Brasil e a democracia".

"Sinto nas ruas do Brasil muita militância cidadã, cidadãos comuns indo às ruas para defender o Brasil e a democracia", disse o presidenciável. "Estamos com uma forte tendência de alta, estou muito esperançoso de que vamos ter um grande resultado hoje à noite", completou.

Haddad aposta no discurso de que é possível reverter a vantagem de dez pontos que seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), tem sobre ele de acordo com a pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (27).

Os dados mostram o capitão reformado com 55% dos votos válidos contra 45% de Haddad -a diferença caiu de 18 para 10 pontos em nove dias.

"Meu sentimento é que hoje o que está em jogo é a democracia no Brasil. O país está numa encruzilhada e o projeto de nação que representamos ganhou as ruas nessa última semana", afirmou Haddad.

Antes de votar, o candidato do PT participou de um café da amanhã com dirigentes petistas e aliados. Deve passar parte da tarde em casa, com a família, e acompanhar a apuração em um hotel na zona sul da capital paulista.