X

Política

Haddad fala em Deus pela primeira vez na TV e ataca Bolsonaro

O recurso a Deus é uma tentativa de neutralizar a declaração de alguns dos principais líderes evangélicos do país de apoio a Jair Bolsonaro

Folhapress

Publicado em 04/10/2018 às 21:20

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O ex-prefeito de São Paulo considera-se um pós-marxista / Agência Brasil

O candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, citou Deus pela primeira vez desde o início da propaganda eleitoral. No último dia do horário eleitoral, o petista encerrou sua fala na peça que foi ao ar nesta quinta-feira (4) com a frase "que Deus abençoe a todos".

Haddad estudou Karl Marx (1818 -1883), filósofo alemão que definia a religião como o "opio do povo". O ex-prefeito de São Paulo considera-se um pós-marxista, mas nunca falou claramente se é ateu ou não.

O recurso a Deus é uma tentativa de neutralizar a declaração de alguns dos principais líderes evangélicos do país de apoio a Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas. O bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, foi uma dos líderes evangélicos a dizer que vai votar no capitão reformado.

Entre evangélicos, Bolsonaro alcança 40% das intenções de voto, segundo o Datafolha, enquanto Haddad fica em 15%. Entre católicos, a diferença é menor. O capitão reformado tem 29% contra 25% do petista.

No último dia do horário eleitoral no primeiro turno, o programa do PT também atacou pela primeira vez Bolsonaro, líder nas pesquisas. Até esta quinta, os petistas não tinham citado o nome do capitão reformado nas propagandas da TV, que começaram no dia 31 de agosto.

Os petistas planejavam iniciar os ataques ao candidato do PSL no segundo turno. Bolsonaro, com 32% dos votos, e Haddad, 21%, lideram a pesquisa de intenções, segundo o Datafolha. 

O crescimento de Bolsonaro fez o PT mudar a estratégia e antecipar o ataque ao candidato do PSL. A propaganda do PT lembra a atuação de Bolsonaro como deputado federal.

"[Bolsonaro] foi o único deputado que votou contra o fundo de combate à pobreza. Votou contra a valorização do salário mínimo. Mas quando foi para aumentar o próprio salário, ele votou a favor. Não vote em quem sempre votou contra você. Bolsonaro não", disse a propaganda petista.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Litoral de SP tem mais de 25 mil imóveis em área de risco

Os dados foram obtidos a partir de um cruzamento entre as coordenadas geográficas do Censo Demográfico 2022, do IBGE

São Vicente

Padre que mais batizou em SV, Feliciano Martinez morre aos 86 anos

Feliciano Arrastia Martinez estava internado desde o dia 21 de fevereiro, no Hospital Casa de Saúde, em Santos

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter