Guido Mantega pede desmentido sobre gasolina

"Ele ficou incomodado porque apareceu como derrotado no caso", informou um auxiliar da presidente

Comentar
Compartilhar
02 NOV 201315h28

Incomodado com a revelação de que a presidente Dilma Rousseff deu aval à criação de um "gatilho" para reajustar o preço dos derivados de petróleo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu ao Palácio do Planalto um "desmentido" de informação publicada neste sábado, 2, pelo jornal O Estado de S. Paulo. "Ele ficou incomodado porque apareceu como derrotado no caso", informou um auxiliar da presidente. "Não chegou nenhum papel para a presidente, mas está decidido na cabeça dela."

Sob pressão dos índices de inflação, Mantega resistia à concessão de um mecanismo permanente de reajuste dos preços do diesel e da gasolina. Criticou abertamente o anúncio da Petrobras sobre os planos para reajustes sistemáticos dos derivados, disse que a medida estava em estudo e afirmou que não poderia ser tomada uma decisão "de afogadilho". Mas Dilma resolveu o embate interno em favor dos argumentos da presidente da Petrobras, Graça Foster, pela adoção de um novo sistema de reajustes.

Mantega resistia à concessão de um mecanismo permanente de reajuste dos preços do diesel e da gasolina (Foto: Agência Brasil)