Guarujá exige fim das filas de caminhões

Vice-prefeito cobra da Codesp e de empresas portuárias uma saída para o congestionamento de caminhões

Comentar
Compartilhar
22 FEV 201313h04

O trânsito de caminhões no Guarujá foi tema de discussão, na tarde desta quinta-feira (21), entre representantes dos terminais portuários e autoridades que atuam no Município. A Prefeitura usou o encontro para avisar que, caso continuem os transtornos causados pelo transporte de carga pesada, vai usar de medidas radicais, o que pode chegar até a cassação de licenças das empresas instaladas na Margem Esquerda do Porto de Santos, para acabar com o problema.

Assumindo o lugar da prefeita Maria Antonieta de Brito, que está em Brasília, quem conduziu a reunião foi o vice-prefeito, Duino Verri Fernandes. E em seu rigoroso discurso, ele foi claro ao dizer que as empresas portuárias, a companhia ferroviária ALL Logística e a Codesp têm até hoje, ao meio-dia, para apresentar uma solução, que deve entrar em prática com urgência, para as filas de caminhões na área retroportuária da Cidade.

“A solução é para amanhã (hoje). O 1º responsável (pelas filas de caminhões) é a Codesp e o 2º responsável é quem opera para a Codesp (terminais portuários). Eles são os responsáveis pelo tráfego que eles mesmos criam”, disse Duino durante a reunião, cobrando uma medida para o congestionamento.

Encontro - Poder Público reúne autoridades municipais de Guarujá e representantes de terminais portuários (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Nesta quinta, o registro foi de 20 quilômetros de fila de caminhões que, passando pela Rua Idalino Pinez (Rua do Adubo), tomavam boa parte da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, também conhecida como Piaçaguera-Guarujá. Representantes de empresas portuárias e associação de caminhoneiros apontam a movimentação ferroviária na Avenida Santos Dumont, que tranca o trânsito de caminhões na entrada do Porto, o principal impasse a ser resolvido. A ALL, no entanto, se defende afirmando que respeita o tempo de espera para a passagem dos veículos, durante as manobras dos trens.

1ª fase da Perimetral

Dentro de 60 dias, a 1ª fase da Avenida Perimetral da Margem Esquerda deve ser entregue, segundo previsão do diretor de Desenvolvimento Portuário, Industrial e Logístico da Prefeitura, Ribamar Brandão. Um viaduto vai ligar a Rua do Adubo diretamente ao Porto, passando sobre a linha férrea. Com isso, o tráfego de veículos pesados em direção aos terminais portuários de Guarujá será separado do trânsito local.