X
Política

Governo prepara voto para contrapor eventual parecer contra Temer

Um dos principais integrantes da tropa de choque de Temer, Marun será o autor de um dos votos

Governo prepara voto para contrapor eventual parecer contra Temer / Marcos Correa/PR/Fotos Públicas

Temendo que o parecer do relator Sergio Zveiter (PMDB-RJ) seja a favor do prosseguimento da denúncia de que o presidente Michel Temer cometeu crime de corrupção passiva, a base aliada do governo já prepara nesta segunda-feira (10) votos em separado, no sentido contrário, para apresentar à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

"Se o que diz a imprensa for verdade e o relatório vier em sentido contrário ao arquivamento, vamos derrotar este relatório e entre hoje [segunda] e quarta-feira apresentarmos votos em separado e já apresentar um relatório substitutivo", afirmou o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) à reportagem.

Um dos principais integrantes da tropa de choque de Temer, Marun será o autor de um dos votos.

"Tenho algumas ideias, mas ainda não redigi um voto", disse Marun.

Zveiter apresentará seu parecer e voto na tarde desta segunda. Ele concluiu o texto na sexta-feira (7), mas não revelou se vai se manifestar a favor ou contra o seguimento da denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

Também deve se manifestar o advogado Antônio Claudio Mariz de Oliveira, responsável pela defesa de Temer.

Depois disso, a expectativa é que haja pedido de vista e somente na quarta-feira (14) tenham início as mais de 40 horas de debates de deputados a favor e contra a denúncia.

Temendo uma derrota para Michel Temer na CCJ, o governo intensificará nesta semana a ofensiva para tentar livrar o presidente da República da denúncia.

Partidos aliados do Palácio do Planalto farão uma nova rodada de mudanças de integrantes que tendem a votar contra Temer. Além disso, o presidente voltará a conversar com alguns dos 11 deputados que o governo considera indecisos em sete partidos -DEM, PDT, PPS, PP, PMDB, PSB e PSDB.

No final da semana passada, a caminho da Alemanha, Temer e aliados fizeram contas. Numa contabilidade otimista, afirmam que, além dos 11 que se dizem em dúvida, já têm 39 votos a favor e 15 contra. Eles consideram que o presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), não irá votar, o que totalizaria 65 votantes.

Para este número, o governo promoverá uma série de trocas.

Enquete da Folha de S.Paulo, levando em consideração a configuração atual da CCJ, indica que 21 membros da comissão são favoráveis à denúncia. Apenas seis deputados da CCJ declararam votos a favor de Temer.

A maior parte dos deputados da comissão aparece ainda em cima do muro: 20 disseram publicamente que não sabem como votarão, oito não quiseram se posicionar e 13 foram procurados, mas não responderam.

Para vencer, Temer precisa de maioria simples, ou seja, metade mais um dos votos.

A conta da oposição é mais modesta que a do Planalto: governo teria 35 votos o que, mesmo assim, garantiria vitória ao presidente.

TROCA NO PR

Na tentativa de barrar um eventual relatório desfavorável ao presidente Michel Temer, o Palácio do Planalto tem pressionado o PR, partido da base aliada, a fazer nesta segunda duas trocas de titulares na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

Em esforço para conseguir 42 votos a favor do presidente, a legenda deve substituir Jorginho Mello (PR-SC) e Delegado Waldir (PR-GO). Em enquete da Folha de S.Paulo, o primeiro se pronunciou favoravelmente ao prosseguimento da denúncia contra o peemedebista,

O segundo não quis declarar voto, apesar de ter afirmado à reportagem que já tinha posição. No entanto, em redes sociais neste domingo (9), o parlamentar publicou imagem do presidente com os dizeres "fora Temer", afirmando que seu "posicionamento é claro".

Em conversas reservadas, o líder do PR, José Rocha (PR-BA), já vinha manifestando a integrantes da sigla desde a semana passada a intenção de trocar parlamentares que fossem favoráveis à denúncia por corrupção passiva ingressada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O PR tem cinco deputados em vagas titulares na CCJ. Destes, nenhum declarou voto contrário à denúncia: além dos dois parlamentares trocados, um deputado se declarou indeciso e dois não responderam à enquete.

As trocas são a principal estratégia do presidente para evitar que seja aprovado relatório do deputado federal Sergio Zveiter (PMDB-RJ), cuja expectativa do Palácio do Planalto é de que seja desfavorável a Temer.

Na manhã desta segunda-feira (10), o presidente se reuniu com o advogado Antonio Mariz de Oliveira, no Palácio do Jaburu, para discutir sua estratégia de defesa.

No domingo (9), o presidente telefonou para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para pedir que o PSDB não deixe a base aliada, movimento que tem ganhado força no partido.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Semana terá clima maluco, por isso, leve guarda-chuva, protetor solar, casaco, para-raio e um bote

Clima indeciso marcará últimos dias de novembro

Brasil

Bolsonaro participa da formatura de cadetes do Exército na Aman

Os 391 cadetes são do 4º ano da Turma Dona Rosa da Fonseca

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software