General Augusto Heleno afirma que não será vice de Bolsonaro

O general disse ter conversado com dirigentes de seu partido, o PRP, e ouviu que não é de interesse da sigla ocupar a vice do PSL

Comentar
Compartilhar
18 JUL 2018Por Folhapress12h49
O general disse que seu apoio à candidatura de Bolsonaro continuaráO general disse que seu apoio à candidatura de Bolsonaro continuaráFoto: Nilson Bastian/Câmara dos Deputados

O general reformado Augusto Heleno afirmou que não será vice de Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência da República.

À reportagem, o general disse ter conversado com dirigentes de seu partido, o PRP, e ouviu que não é de interesse da sigla ocupar a vice do PSL.

O nome de Heleno foi mencionado na véspera por Bolsonaro, que disse que a tendência é que poderia anunciar nesta quarta (18) o seu vice.

"Entendi o argumento (do partido) porque depende de deputados federais. O vice não acrescenta tempo de TV. Essa candidatura não é atraente para os diretórios estaduais do partido", explicou.

O general disse que seu apoio à candidatura de Bolsonaro continuará. "Não me afetou em nada. Continuo trabalhando", afirmou, explicando que contribuirá com programa de governo.

Diante da negativa do PRP, o deputado terá de buscar novo nome para sua vice. Ele está a menos de uma semana da convenção que o formalizará candidato ao Palácio do Planalto pelo PSL, marcada para domingo (22), no Rio de Janeiro.

Na noite de terça (17), o presidente do partido, Gustavo Bebbiano, disse que além de Heleno, são cotados para vice o presidente licenciado do PSL, Luciano Bivar, e a advogada Janaina Paschoal, uma das autoras do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Bivar disse que as conversas continuam e que a indicação do vice é uma escolha pessoal de Bolsonaro. Procurada, Janaina não respondeu aos contatos da reportagem.