X

Política

Fux envia à primeira instância de SP inquérito contra Kassab

Na decisão, desta quinta-feira, 9, Fux atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR)

Estadão Conteúdo

Publicado em 10/08/2018 às 22:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Fux envia à primeira instância de SP inquérito contra Kassab / Agência Brasil

Com base na restrição do foro especial, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à primeira instância da Justiça Federal do Estado de São Paulo o inquérito contra o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), aberto com base na delação da Odebrecht. 

Na decisão, desta quinta-feira, 9, Fux atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Em manifestação, a PGR destacou que os supostos delitos cometidos por Kassab teriam sido praticados enquanto ele exercia os cargos de prefeito de São Paulo e de ministro das Cidades, apuração, que em função da restrição do foro definido pela Corte em maio, deveria ser declinada à primeira instância da justiça.

Segundo o Ministério Público, os delatores da empreiteira narraram que, entre 2008 a 2014, Kassab teria recebido vantagem indevida de R$ 20 milhões. Em nota, a assessoria de Kassab diz que o ministro "entende que, na vida pública, as pessoas estão corretamente sujeitas à especial atenção do Judiciário", e ressalta sua tranquilidade e confiança na Justiça e no Ministério Público.

"Como sempre, ao longo de sua vida pública, está à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos que se façam necessários e destaca que todos os seus atos seguiram a legislação e foram pautados pelo interesse público", diz a nota.

A redução do alcance do foro privilegiado para deputados federais e senadores foi definida em maio pelo plenário do STF. No mês seguinte, a Primeira Turma da Corte entendeu que a restrição também vale para ministros de Estado, julgados pelo STF. 

Desde então, os ministros do Supremo Tribunal Federal já enviaram para instâncias inferiores da Justiça 209 processos. As decisões de 'baixar' as apurações começaram a ser tomadas em maio, e continuam sendo publicadas pelos ministros da Corte.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Mercado Dia faz queima de estoque com descontos de até 90% na Baixada; veja endereços

Em março, a rede anunciou o fechamento de 340 lojas no País. Na Região, o fechamento atingiu mais de 25 unidades

Cotidiano

Trabalhadores portuários protestam em Santos

Inicialmente, a paralisação será de 6 horas, indo das 7h até as 13h.

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter