Ex-ministro pede 'demissão' de Jucá e 'investigação' de atuação de Temer

A presidente Dilma Rousseff escalou nesta segunda-feira (23) o ex-ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) para "exigir a demissão" de Romero Jucá

Comentar
Compartilhar
23 MAI 2016Por Folhapress16h00
A presidente Dilma Rousseff escalou nesta segunda-feira (23) o ex-ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) para "exigir a demissão" de Romero JucáA presidente Dilma Rousseff escalou nesta segunda-feira (23) o ex-ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) para "exigir a demissão" de Romero JucáFoto: Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff escalou nesta segunda-feira (23) o ex-ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) para "exigir a demissão" de Romero Jucá e a "investigação da relação" do presidente interino, Michel Temer, com o diálogo divulgado pela Folha de S.Paulo em que o ministro do Planejamento fala em "estancar a sangria" da Operação Lava Jato.

Em vídeo gravado no jardim do Palácio da Alvorada e divulgado na página do Facebook de Dilma, Berzoini afirma que as declarações de Jucá demonstram "a verdadeira razão do golpe contra a democracia e contra o mandato de Dilma Rousseff". "O objetivo [do impeachment] é frear a Lava Jato e empurrar para debaixo do tapete as investigações", diz Berzoini.

Durante o governo Dilma, ministros do núcleo próximo à petista foram citados na Operação Lava Jato, como Aloizio Mercadante (Educação) e Edinho Silva (Comunicação Social), este investigado formalmente por supostos repasses ilegais à campanha de Dilma em 2014, da qual era tesoureiro.

Ainda de acordo com Berzoini, que elaborou o discurso com a chancela de Dilma, é preciso "investigar a fundo" o diálogo entre Jucá e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, ligado ao PMDB, em que ambos conversam sobre as investigações do esquema de corrupção da Petrobras.

"Exigimos a demissão de Romero Jucá e a investigação da relação de Temer com esse diálogo", diz Berzoini.
O vídeo foi divulgado no mesmo momento em que Jucá concedia uma entrevista coletiva à imprensa, no Ministério do Planejamento, dizendo que não pediria demissão e que a conversa foi "tirada de contexto".

AGENDA DILMA

Outros vídeos devem ser publicados ainda nesta segunda nas redes sociais de Dilma com ex-ministros do PT falando sobre a primeira crise do governo Temer.
À noite, a presidente afastada vai participar de um evento da Fetraf (Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar), no Parque da Cidade, em Brasília, onde fará um discurso.