Ex-deputado Roberto Jefferson se casa nesta sexta em festa de R$ 100 mil

O ex-deputado chegou à casa de festas Ilha de Capri, na cidade de Três Rios, a 123 quilômetros da capital, às 9h40, surpreendido pela chuva que cai desde a madrugada

Comentar
Compartilhar
29 MAI 201514h59

Dez anos depois de denunciar o esquema do mensalão, o ex-deputado Roberto Jefferson, de 61 anos, presidente de honra do PTB, vai se casar na manhã desta sexta-feira com a enfermeira Ana Lúcia Novas, de 46, com quem vive há 13. Jefferson chegou à casa de festas Ilha de Capri, na cidade de Três Rios, a 123 quilômetros da capital, às 9h40, surpreendido pela chuva que cai desde a madrugada. "Mas não vai atrapalhar a festa. Não vou mentir, estou nervoso. Mandei vir umas tendas de última hora. Quero que à noiva tenha um dia lindo", disse.

Jefferson testou o som e preparou a voz para cantar as músicas "Fascinação" e "Dio come ti amo". O ex-parlamentar costuma dizer que se sentiu como um Lobo Mau com Chapeuzinho Vermelho ao se apaixonar por Ana Lúcia, que gosta de sapatos vermelhos, e escolheu um par para o casamento. A brincadeira foi parar no bolo de casamento: os bonequinhos no topo trazem, no lugar do noivo, um Lobo Mau na coleira, preso pela noiva.

Roberto Jefferson vai se casar na manhã desta sexta-feira com a enfermeira Ana Lúcia Novas, de 46 (Foto: Agência Estado)

O casamento vai custar, segundo cálculo do noivo, R$ 100 mil. Jefferson reclama: "Querem botar preço no meu amor, e meu amor não tem preço". Na quinta-feira, o casal esteve duas vezes na casa de festas para os últimos preparativos. Na manhã desta sexta, às 8h30, Jefferson e Ana Lúcia foram ao cartório em Levy Gasparian, cidade da noiva, vizinha a Três Rios, formalizar a união civil. À cerimônia na casa de festas começa às 11 horas.

Poucos políticos estão entre os 300 convidados: os deputados Benito Gama (BA), Campos Machado (SP) e Cristiane Brasil (RJ, filha de Jefferson), todos do PTB. "Esta não é uma festa política", disse o noivo. Desde 16 de maio, Jefferson, condenado a 7 anos e 14 dias de prisão, está em regime domiciliar. Ele teve autorização da Justiça para casar e passar quatro dias em Levy Gasparian.

Jefferson se irrita quando é chamado de delator do mensalão. "Delação premiada é coisa de canalha", costuma dizer. O ex-deputado afirma que fez uma denúncia pública e que foi condenado a pena a mais dura que outros políticos envolvidos.