Empresário nega acusação feita por delator sobre repasse a Jucá

O pagamento teria sido feito pelo empenho do senador na aprovação da Medida Provisória 613

Comentar
Compartilhar
17 ABR 2017Por Estadão Conteúdo22h30
Empresário nega acusação feita por delator sobre repasse a JucáEmpresário nega acusação feita por delator sobre repasse a JucáFoto: Agência Brasil

O empresário Milton de Oliveira Lyra Filho contestou, por meio de nota, a afirmação feita ex-funcionário da Odebrecht José de Carvalho Filho que, em delação, citou pagamentos que teriam sido feitos ao senador Romero Jucá, por meio de Lyra, classificado por ele como lobista O pagamento teria sido feito pelo empenho do senador na aprovação da Medida Provisória 613, que concede incentivos tributários aos produtores de etanol e à indústria química.

"É mentira do sr. José Carvalho Filho que eu tenha conversado ou intermediado qualquer tipo de pagamento destinado ao senador Romero Jucá ou a qualquer outro parlamentar. A divulgação irresponsável dessa mentira favorece apenas a quem quer escamotear a verdade e fugir de suas responsabilidades", diz Lyra na nota.

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de cinco inquéritos para apurar as acusações dos delatores da empreiteira contra Jucá. Em planilha, está registrado que o senador recebeu R$ 1,7 milhão sob o codinome de "Aracati" e R$ 1 milhão sob a alcunha de "Cerrado". Os dois pagamentos teriam sido feitos em outubro de 2013.

Em nota, Romero Jucá afirmou que sempre esteve e sempre estará à disposição da Justiça para prestar qualquer informação. Também disse que, durante as campanhas eleitorais, sempre atuou dentro da legislação e teve todas as contas aprovadas.