Em visita a cardeal, Bolsonaro defende liberdade das religiões

O gesto é uma aproximação aos católicos, já que Bolsonaro conta com grande apoio dos evangélicos

Comentar
Compartilhar
17 OUT 2018Por Folhapress11h35
Ele disse que foi ao local mais para ouvir do que para falar e agradeceu a Deus "por tudo que aconteceu na sua vida".Ele disse que foi ao local mais para ouvir do que para falar e agradeceu a Deus "por tudo que aconteceu na sua vida".Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) visitou na manhã desta quarta-feira (17) o cardeal dom Orani Tempesta, da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

O gesto é uma aproximação aos católicos, já que Bolsonaro conta com grande apoio dos evangélicos.

Ele fez um breve discurso ao lado de dom Orani e defendeu valores da família. "Assinamos um compromisso pela família em defesa da inocência da criança na sala de aula, em defesa da liberdades das religiões. Contra o aborto e contrario à legalização das drogas."

Ele disse que foi ao local mais para ouvir do que para falar e agradeceu a Deus "por tudo que aconteceu na sua vida".

Segundo o candidato, o compromisso firmado em papel representa "o que está no coração de todos os brasileiros de bem".

Sem dar detalhes ao que se referia, afirmou que a população não quer "flertar com o desconhecido ou com aquilo que não deu certo no Brasil e no mundo".

Ao final, ele se colocou à disposição para ouvir dom Orani. "Se porventura houver algo que eu deva fazer, que você tenha a liberdade para me avisar que aqui eu estarei para ouvi-lo com o coração aberto."

Bolsonaro foi à Arquidiocese acompanhado do advogado Sergio Bermudes, dono de um dos maiores escritórios do país, de seu filho Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), eleito senador, Gustavo Bebianno, presidente do PSL, e do empresário Paulo Marinho, amigo e apoiador da campanha.

Ao chegar, algumas funcionárias da Arquidiocese vestiram camisetas verde e amarelo, cores do candidato, e imitaram armas com as mãos, posando para foto em frente a uma estátua de Jesus Cristo, no saguão de entrada.

Após a visita à sede da Igreja no Rio, Bolsonaro foi à Superintendência da Polícia Federal para uma visita de cortesia.

Esta semana ele também visitou o Bope (Batalhão de Operações Especiais) da Polícia Militar.
Capitão reformado do Exército, ele conta com forte apoio das polícias e de militares.