Em programa de rádio, PT trata Aécio como 'passo atrás'

A propaganda irá ao ar uma semana depois de a última pesquisa de intenção de votos CNT/MDA apontar queda de Dilma (43,7% para 37%) e crescimentos dos possíveis adversários

Comentar
Compartilhar
05 MAI 201420h49

Previsto para ir ao ar amanhã em cadeia nacional de rádio, o programa partidário do PT ataca os adversários do partido na disputa pelo Palácio do Planalto e traz como protagonista a presidente Dilma Rousseff. O Broadcast Político, serviço da Agência Estado, teve acesso ao comercial do partido que vai ao ar nas rádios de todo País em pelo menos seis inserções.

No mesmo dia, o material também deve ser divulgado em rede de televisão. A propaganda irá ao ar uma semana depois de a última pesquisa de intenção de votos CNT/MDA apontar queda de Dilma (43,7% para 37%) e crescimentos dos possíveis adversários, o senador Aécio Neves e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

No primeiro spot do partido, com duração de cerca de 30 segundos, surge um locutor que afirma que "todos nós queremos que o Brasil mude". Em seguida, ele faz referência de forma indireta ao senador tucano quando afirma que "mudar não é dar um passo atrás" e a Eduardo Campos quando diz que mudar não é "um salto no escuro para o futuro".

O PT tratou Aécio Neves como um 'passo atrás' (Foto: George Gianni)

"Todos nós queremos que o Brasil mude. Mas mudar o Brasil não é dar um passo atrás para o passado, nem um salto no escuro para o futuro. Mudar o Brasil é acelerar as mudanças e fazer o Brasil andar mais rápido e no rumo certo", afirma o locutor. "Nos últimos 11 anos, o Brasil mudou como nunca em sua história. Quem foi capaz de fazer o Brasil mudar tanto, é capaz também de fazer o Brasil mudar mais e melhor", acrescenta.

No segundo spot, a presidente Dilma ocupa todo o comercial e afirma que "mudar não é fácil", mas que os desafios não a intimidam. "Nosso governo tem o signo da mudança. Vamos continuar fazendo o Brasil avançar. Não vamos recuar no nosso compromisso de reformar a política, combater a corrupção, fortalecer a economia e melhorar a qualidade dos serviços públicos. Mudar não é fácil, todo governo de mudanças encontra obstáculos, mas isso não me intimida. Para mim as dificuldades são fonte de energia para avançar e não motivo para recuar", diz a petista.

Outros dois comerciais, com duração de 30 segundos, devem ir ao ar no próximo dia 13. Um terceiro no 15, quando também deve ser divulgado o programa de 10 minutos do PT, em cadeia nacional de rádio e TV, em que o ex-presidente Lula e Dilma deverão ser os protagonistas.