GOVERNO 3

Eleições: OAB de Santos tem que marcar posição

Chapa Nova OAB Santos diz que subsede “dá às costas” para advogados

Comentar
Compartilhar
28 NOV 201214h12

A conclusão é da candidata à presidência pela Chapa 1 (Nova OAB Santos) à subseção da entidade em Santos, a advogada Sonia Catarino, alertando que há anos o órgão santista vem dado as costas não só para as principais discussões da sociedade, como para os quase 6.500 advogados que existem no Município.

Em visita à redação do Diário do Litoral, acompanhada de membros da chapa — Thiago Miller (candidato à vice); Gerson Pastovski (tesoureiro) e Carla Mazzeo (secretária-adjunta) - Sonia ressalta que as duas principais propostas da chapa são: acabar com o aviltamento aos honorários e com a péssima visão que a sociedade passou a ter do advogado. 
 
“Estamos sofrendo uma concorrência desleal por conta do número significativo de advogados que chegam ao mercado ano por ano, sem serem absorvidos. Então, esses novos advogados trabalham por qualquer valor e tudo isso ocorre em função do grande número de faculdades em Santos e região (6)”. 
 
A proposta é proporcionar aos novatos a possibilidade de ocuparem os espaços ociosos da OAB de Santos. Usar a estrutura do órgão, sem custos, com o compromisso de seguirem a tabela mínima da entidade.
 
Outro foco será, segundo ela, voltado aos advogados do serviço privado e público. Segundo ela, é preciso que a OAB se movimente e proporcione vantagens econômicas à categoria. “Também é preciso ouvir o advogado. A OAB acabou de comprar mais um imóvel. Não é melhor um leito hospitalar? Quem tem que decidir o que fazer com o dinheiro da anuidade é o advogado”.

Candidata à presidência, Sonia Catarino, pretende proporcionar, via OAB, compras coletivas de material de escritório e equipamentos aos advogados (Foto: Matheus tagé/DL)

Sonia Catarino afirma que, dos 6.500 advogados, somente 4 mil militam na profissão. “Nossa chapa foi construída com pessoas voltadas a esse público, que depende do órgão. Só o advogado que exerce a profissão é que sabe dos problemas. Além disso, vamos resgatar o sentimento de classe, que se perdeu nos últimos anos. A OAB perdeu a combatividade, o poder de confronto perante as mazelas da sociedade. A OAB de Santos tem que marcar posição”, dispara.
 
A candidata e os membros da Nova OAB Santos afirmam que a entidade, atualmente, está servindo para defender interesses pessoais e políticos. “Temos que servir o advogado. Estão utilizando a entidade para fins políticos e para amigos da diretoria”, afirma Thiago Miller, acompanhado de Carla Mazzeo, que completa: “a entidade precisa recuperar sua força institucional e a defesa da sociedade”.Miller finaliza.

Ele acredita que os advogados estão dando as costas para a OAB por não mais se sentirem representados, por não mais se identificarem com o órgão. “Estamos no 
pior cenário da entidade. A OAB tem que defender, prestar serviço, dar satisfação e ouvir o advogado. É assim que vamos trabalhar”.
 
Vale lembrar que as eleições ocorrem amanhã, dia 29, das 10 às 18 horas, na Câmara de Vereadores de Santos, na Praça Tenente Tenente Mauro Batista de Miranda, 01, na Vila Nova.

Colunas

Contraponto