Eleições 2020: Márcio Cabeça sai na frente em pesquisa para a Prefeitura de Mongaguá

O levantamento contratado pelo Diário do Litoral foi realizado pela GovNet Pesquisa, empresa pertencente aos mesmos proprietários do Instituto Opinião Pesquisa entre os dias 26 e 27 de outubro

Comentar
Compartilhar
30 OUT 2020Por Da Reportagem06h00
Márcio Cabeça é líder de intenção de votos até o momento na corrida eleitoralFoto: Reprodução/Facebook

Candidato do Republicanos, Márcio Cabeça é líder de intenção de votos até o momento na corrida eleitoral pelo cargo máximo da Prefeitura de Mongaguá. Com quase um terço de entrevistados favoráveis à sua eleição, o atual prefeito é seguido de perto apenas pelo ex-presidente da Câmara dos Vereadores Rodrigo Casa Branca (PSDB).

O levantamento contratado pelo Diário do Litoral foi realizado pela GovNet Pesquisa, empresa pertencente aos mesmos proprietários do Instituto Opinião Pesquisa entre os dias 26 e 27 de outubro. Ao todo, 400 pessoas foram entrevistadas durante o período e a margem de erro está firmada em 4,9% para mais ou para menos. Toda a pesquisa pode ser encontrada no portal do Tribunal Superior Eleitoral sob o registro SP-03045/2020.

Com uma dianteira, Márcio Cabeça (Republicanos) tem 32,3% da intenção do eleitorado da cidade na pesquisa estimulada. Em seu encalço está Rodrigo Casa Branca (PSDB) que possui, na mesma modalidade de pesquisa, 26,8% de preferência entre os moradores.

Ambos são seguidos por Renato Donato (PSB) que tem 10% dos entrevistados pelo instituto a seu favor. Correndo por fora estão Marcelo Conceição (PTC) com 2% e  Antonio Timóteo (PT) que fecha a lista de candidatos com 1,3%.

 

Apesar desta vantagem, a margem de erro de 4,9% para mais ou para menos abre a possibilidade para que Márcio Cabeça dispare na liderança ou para que Rodrigo Casa Branca supere o atual líder da corrida eleitoral. Os dois, entretanto, ainda têm um cenário político completamente em aberto, uma vez que a pesquisa revelou que 8,8% dos entrevistados têm intenção de votar em branco ou anular, enquanto 19%, número que pode vir a representar 1/5 dos eleitores de Mongaguá, ainda não tem ideia de qual foto verão nas urnas antes de apertar o botão verde de confirma no próximo dia 15 de novembro, que selará o próximo prefeito da cidade que não possui segundo turno por ter menos de 200 mil eleitores.

Já quando o assunto se trata de rejeição, a tabela de intenção de votos praticamente vira de ponta-cabeça. Antônio Timóteo possui 26,7% de rejeição dentro do eleitorado mongaguense.

Atrás dele, mas bem próximos uns dos outros, estão Marcelo Conceição, que é rejeitado por 18,6% dos moradores de mais de 18 anos da cidade, Renato Donato, que não tem a preferência de 17,3% das pessoas e por fim, os dois candidatos que figuram na disputa pelo cargo máximo do Executivo: Rodrigo Casa Branca, que tem 15,4% de rejeição e Márcio Cabeça, que alcançou a marca de 14,1%. Ao todo, 3,1% dos entrevistados explicam que rejeitam todos os cinco candidatos, enquanto 3,9% não possuem rejeição contra nenhum. Curiosamente, os indecisos quanto à rejeição são 0,9%, o que significa que dos 19% que não definiram voto em prol de algum candidato, ao menos metade deve escolher um dos cinco nomes disponíveis.