X
Política

Doria vence prévias do PSDB e será candidato do partido ao governo de São Paulo

Doria disputou a indicação da sigla ao Bandeirantes com o empresário Luiz Felipe D'Ávila, o deputado federal e secretário Floriano Pesaro e o senador José Aníbal.

Agora, o pré-candidato diz esperar que o partido saia unido em São Paulo. / Fotos Públicas/Divulgação

Com mais de 90% das urnas apuradas, o prefeito de São Paulo, João Doria, disputará o governo de São Paulo pelo PSDB nas eleições de outubro. Ele recebeu 80,07%  dos votos dos filiados ao partido nas prévias realizadas neste domingo (18).

Doria disputou a indicação da sigla ao Bandeirantes com o empresário Luiz Felipe D'Ávila, o deputado federal e secretário Floriano Pesaro e o senador José Aníbal.

Por volta das 18h, com boa parte das urnas apuradas - e indicando uma vitória ampla de Doria -, tanto D'Ávila como Pesaro afirmaram que irão trabalhar pela união do partido em São Paulo, em torno de suas candidaturas ao estado e à Presidência.

Para D'Ávila, as prévias, como aconteceram, foram açodadas e devem ter regras melhores. Ele afirmou que houve pouco tempo entre a definição da data, em 5 de março, e a eleição partidária neste domingo - além disso, comentou que a definição antes da desincompatibilização eleitoral acaba favorecendo quem está em um cargo eletivo e tem "recall", como é o caso de João Doria.

Agora, o pré-candidato diz esperar que o partido saia unido em São Paulo. "Precisamos dar esses 2 milhões de votos ao Geraldo Alckmin. Isso só vai acontecer com o governo unido", afirmou.

Para Pesaro, a ampla maioria de votos em Doria reflete uma união no partido. Ele disse que cisões e eventuais suspeitas de fraude nas prévias estão superadas diante da vantagem do prefeito paulistano.

Secretário estadual de Desenvolvimento Social, ele conta que irá disputar a reeleição para a Câmara e que sua manutenção na pasta caberá ao vice-governador Márcio França (PSB), quando o pessebista assumir o Bandeirantes, caso Alckmin renuncie para disparar a Presidência. 

Tanto o deputado como o secretário defendem que o PSDB não trate o eventual governo França -que articula candidatura própria ao governo- como oposição. Para eles, o vice-governador dará continuidade à plataforma de Alckmin.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande

Golfinho é encontrado morto na orla de Praia Grande

Mamífero foi encontrado em avançado estado de decomposição por um pescador, que acionou as autoridades

Polícia

Câmera registra 1º caso de PMs de SP matando suspeito desarmado

Existem ainda outros dois casos semelhantes em andamento sendo analisados, mas ainda sem conclusão

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software