Depoimento de 13 presos na Lava Jato à CPI pode se estender por 3 dias

Na primeira rodada serão ouvidos Alberto Youssef, Mario Góes, Nestor Cerveró, Fernando Soares, Guilherme Esteves de Jesus, Adir Assad e Iara Galdino

Comentar
Compartilhar
07 MAI 201514h31

O presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), anunciou na tarde desta quinta-feira, 7, que a oitiva de 13 presos na Operação Lava Jato, em Curitiba, pode se estender por até três dias da próxima semana. A ideia é começar ouvir sete presos na segunda-feira, 11, e outros seis na terça-feira, 12.

Na primeira rodada de oitivas no auditório da Justiça Federal serão ouvidos Alberto Youssef, Mario Góes, Nestor Cerveró, Fernando Soares, Guilherme Esteves de Jesus, Adir Assad e Iara Galdino. No dia seguinte serão ouvidos Nelma Kodama, René Luiz Pereira, Luiz Argôlo, André Vargas, Pedro Corrêa e Carlos Habib Charter.

Segundo Motta, a ideia é cumprir toda a agenda de oitivas e, se for necessário, avançar com os depoimentos na quarta-feira, 13. Ele fez questão de informar aos membros da CPI que não haverá desconto salarial por falta às sessões de votação no plenário da Câmara dos Deputados por se tratar de missão oficial.

Alberto Youssef será o primeiro a prestar depoimento (Foto: Agência Brasil)