Denúncia repercute no meio político

Deputados federais e estaduais da Região querem a punição dos envolvidos no caso do “Mensalinho” de Guarujá

Comentar
Compartilhar
05 MAR 201321h26

Os parlamentares ouvidos esperam que o Ministério Público apure o caso e afaste os suspeitos de seus respectivos cargos. As imagens que mostram a suposta distribuição de verba de propina aos parlamentares da Câmara Municipal, pelo presidente da Casa, Gilson Fidalgo Salgado (PMDB), foram exibidas pela TV Bandeirantes de São Paulo, na última quarta-feira.   

A candidata à deputada federal, Telma de Souza (PT), afirmou, em nota, que tomou conhecimento da reportagem exibida pela TV Bandeirantes e acha que uma investigação deve ser feita para apurar o caso. “Todas as denúncias, envolvendo quem quer que seja e qualquer tipo de ilegalidade, deve ser apurada com todo o rigor, ainda mais em se tratando de suspeitas de irregularidades que teriam sido cometidas por pessoas que exercem cargos públicos. No caso de comprovação da denúncias, os culpados, sejam quem forem, devem receber punição exemplar. É necessário, porém, que as apurações ocorram com isenção, ainda mais no período político-eleitoral que estamos vivendo”.

A candidata a uma vaga na Assembléia Legislativa, Maria Lúcia Prandi (PT), afirmou que este tipo de atitude denigre tanto o Executivo, quanto o Legislativo. ”Eu acho que o Ministério Público precisa tomar providências e punir estas pessoas”.

O candidato a deputado estadual, Giovani Vassopoli (PSB), acredita que todos os vereadores envolvidos devem ser investigados imediatamente. “Isso é muito grave e precisa ser apurado agora para evitar que o povo não tenha prejuízo. Os vereadores precisam se posicionar e prestar contas à população e a imprensa, porque quando você se torna um homem público, você tem a obrigação de prestar esclarecimentos às pessoas”.

Para Giovani os vereadores de seu partido, Mário Lúcio da Conceição e Marcos Evandro Ferreira, que aparecem na gravação devem ser penalizados pelo PSB. ”Todo órgão tem seu conselho de ética e a pessoa é penalizada, por isso o partido precisa se posicionar. Acredito que o Márcio França, que é presidente estadual do PSB, precisa fazer um pronunciamento solicitando uma resposta desses dois vereadores que pertencem ao nosso partido. Atitudes como esta denigrem a imagem do PSB junto à população. Depois do escândalo do “mensalão” (na Câmara Federal), este é o segundo caso mais grave envolvendo políticos no País”, diz Giovani.

“É um caso gravíssimo”, declarou a deputada federal Mariângela Duarte (PT), ontem. A deputada afirmou que diante de mais um escândalo político em Guarujá, espera que haja uma profunda investigação na suposta corrupção envolvendo Executivo e Legislativo. A assessoria do deputado estadual Marcelo Bueno (PTB), informou que somente o presidente estadual do partido, Nabi Chedid, poderá se pronunciar sobre o envolvimento do Pastor Joaci Cidade Alves, filiado ao partido.

Os deputados federais Fausto Figueira (PT) e Vicente Cascione (PTB) não foram localizados pela reportagem do DL para comentar as denúncias. O ex-prefeito de Guarujá Maurici Mariano (PMDB) também não foi localizado para falar sobre o envolvimento de dois membros de seu partido: o presidente da Câmara, Gilson Salgado, e o vereador, Nilson de Oliveira Fontes. Maurici é o principal adversário político do prefeito de Guarujá, Farid Madi. Nas eleições deste ano, Maurici disputa com a primeira dama Haifa Madi (PDT), uma cadeira na Assembléia Legislativa.

O membro da Executiva estadual do PSB, Sílvio Mendonça, declarou ontem, em Guarujá, que o diretório vai abrir inquérito para investigar a participação dos vereadores Mário Lúcio da Conceição e Marcos Evandro Ferreira no esquema de corrupção e acompanhará as apurações do Ministério Público. Ele enfatizou que se for comprovada a culpa de ambos, eles serão expulsos do partido. 

Quadrilha

A presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), a ex-vereadora Maria Antonieta de Brito, afirmou que ingressará com representação no Ministério Público, na próxima segunda-feira, pedindo o aprofundamento das investigações e o afastamento dos vereadores da Câmara envolvidos no “Mensalinho”. Antonieta disse que os 12 parlamentares da bancada situacionista estão sob suspeita.

“Existe uma grande quadrilha dilapidando o Poder Legislativo, agindo em causa própria, em detrimento dos interesses da população”, declarou Antonieta. Antonieta, cujo mandato na Câmara Municipal, foi de 2001 a 2004, disse que as suspeitas de corrupção no Legislativo são antigas, mas só agora surgiram provas da prática ilícita. A ex-parlamentar também contou que enquanto única oposição no Legislativo “teve inúmeros projetos de lei não aprovados e requerimentos rejeitados”.

Migração de votos

Antonieta, que concorre este ano à Assembléia Legislativa, não fala em migração de votos dos parlamentares envolvidos no escândalo que também são candidatos — Mário Lúcio Conceição (PSB) e Pastor Joaci Cidade Alves (PTB) — incluindo ainda a primeira dama Haifa Madi (PDT), candidata a deputada estadual — que não foi citada nas denúncias. Mário Lúcio é candidato a deputado federal e Pastor Joaci, a estadual. “É importante que as pessoas não se iludam com a força do poder econômico e saibam avaliar bem os candidatos. A questão é grave e a população vai perceber quem é quem”.