DEM mantém candidatura própria em Santos

A Executiva do DEM afirma que o Governo Paulo Alexandre vem realizando uma campanha sistemática para ‘eliminar’ qualquer possibilidade de surgimento de uma nova força política

Comentar
Compartilhar
31 MAI 2016Por Diário do Litoral10h00
Executiva municipal do DEM garante que manterá um nome na disputa eleitoralExecutiva municipal do DEM garante que manterá um nome na disputa eleitoralFoto: Matheus Tagé/DL

O jornalista e consultor empresarial Moysés Fernandes confirmou ontem, junto com a Executiva Municipal do partido, que é pré-candidato do Democratas (DEM) à Prefeitura de Santos. 

“Não vamos apoiar o atual prefeito. Existe um trabalho sólido construído há pelo menos dois anos que vem crescendo dia-a-dia. Portanto, continuaremos a participar da frente de preposição, e não de oposição, composta por cerca de sete partidos, que objetiva propor um novo modelo de gestão para Santos”, afirma Fernandes.

A Executiva do DEM afirma que o Governo Paulo Alexandre vem realizando uma campanha sistemática para ‘eliminar’ qualquer possibilidade de surgimento de uma nova força política que possa equilibrar a disputa eleitoral. 

“Mas estamos nas ruas e as pessoas querem novas opções, novas lideranças. Então, não adianta ir à Brasília ou em São Paulo tentar ganhar a legenda. Temos a palavra do presidente da Executiva Estadual, o deputado Milton Leite, e não adianta tentar dar uma ‘rasteira’ no DEM de Santos. Vamos trabalhar até o último dia por uma candidatura própria”, garante Moysés Fernandes.

Segundo o grupo, os partidos que devem participar do novo modelo de gestão é composto pelos seguintes partidos: DEM, PPS, Rede, PDT, PRP, PMB e PSL. Há ainda conversações envolvendo o PTN e o PRB. 

“Temos um outro projeto para a cidade e esse projeto será divulgado durante os ‘workshops’ que vamos realizar e no lançamento da pré-candidatura do Moysés, no próximo dia 18”, afirma o vereador Douglas Gonçalves – presidente do DEM de Santos, ressaltando que o partido pode apoiar outro candidato futuramente, caso a frente assim decidir.  

A Executiva municipal ressalta que além dos partidos da frente, existem os que já são oposicionistas naturais do PSDB, que vai acabar proporcionando um segundo turno no ­município. 

“No caso do DEM, é uma pré-candidatura que vem da base, que ­agrega cerca de mil filiados. O Democratas hoje é a candidatura mais legítima quando se fala em base partidária”, afirma o membro Sérgio Ricardo de França Coelho, alertando que não será uma ‘canetada’ a responsável por desarticular um projeto vitorioso.

Também estiveram na redação do Diário a responsável pelo DEM Mulher, Cristina Oliveira; o vice-presidente do partido, Cristiano Santana; e o secretário Elroy Ornellas.