Del Bosco cobra uso dos R$ 25 milhões da Sabesp

O dinheiro é parte de um acerto firmado ano passado entre Município e a estatal

Comentar
Compartilhar
30 MAI 2016Por Carlos Ratton09h00
Zona Noroeste continua aguardando obras que resolvam definitivamente os problemas de enchentes, que todos os anos causam inúmeros prejuízos à populaçãoZona Noroeste continua aguardando obras que resolvam definitivamente os problemas de enchentes, que todos os anos causam inúmeros prejuízos à populaçãoFoto: Matheus Tagé/DL

O vereador Marcelo Del Bosco está intrigado com o que foi feito dos R$ 25 milhões – primeira parcela de um repasse de R$ 130 milhões – que a Prefeitura de Santos recebeu ano passado da Saneamento Básico do Estado de São Paulo (­Sabesp).

O dinheiro é parte de um acordo envolvendo  o município e a estatal totalizando R$ 1 bilhão para prestação dos serviços de saneamento básico por mais 30 anos. Até 2018, a Prefeitura tem a receber parcelas de R$ 26,25 milhões ­corrigidas.

Quais ações, quanto do montante já foi utilizado e quanto foi empenhado no Santos Novos Tempos, estão entre os questionamentos do requerimento apresentado na última segunda-feira (23) na Câmara, por Del Bosco.

O vereador se baseia no fato da Prefeitura ter alardeado que parte dos recursos seria utilizada na manutenção das obras de macrodrenagem na Zona Noroeste

Vale lembrar que, após assinatura do contrato, ocorrida no Palácio dos Bandeirantes, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa chegou a ressaltar a importância dos recursos.   

“A maior dívida que o Município tinha está sendo equacionada por meio desse contrato e ainda com um grande volume de recursos que serão investidos em obras importantes. É um acordo histórico”, disse o prefeito.   

No entanto, a Zona Noroeste continua sofrendo com enchentes a praticamente seis meses do fim do mandato.

Procurada e sem detalhes, a Prefeitura resumiu informando que os R$ 25 milhões foram gastos com obras de microdrenagem e drenagem; coleta e destinação de lixo; obras em Policlínicas e reforma em unidades municipais de ensino.

Outros itens

Durante o período de acordo com a Prefeitura, a Sabesp pretende investir cerca de R$ 246 milhões em melhorias no sistema integrado de abastecimento de água, além de R$ 97 milhões na coleta e tratamento do esgoto. E, ainda, recursos de R$ 81 milhões para manutenção geral.

Para ampliar o fornecimento de água, deverá ser construída uma quarta linha de adutora da estação de tratamento de água (ETA) de Cubatão.

E, para melhoria da distribuição, serão implantados novos reservatórios no Piratininga, São Manoel, Nova Cintra e a ampliação da capacidade 100 para 500 mil litros de água para atender a Vila Progresso.

Ainda estão previstos investimentos dentro do programa Onda Limpa para complementar o esgotamento sanitário do Dique da Vila Gilda e São Manoel.

O acordo também prevê a construção de estações de  bombeamento dos esgotos na Alemoa, onde também serão assentados 480 metros de tubulações pressurizadas, 420 metros de redes coletoras e cerca de 200 novas ligações ­domiciliares.

Terrenos

De acordo com o contrato assinado, a Sabesp ainda cedeu três terrenos, localizados nas avenidas São Francisco e Pedro Lessa e também na entrada da Cidade. Os locais serão destinados futuramente para instalações de equipamentos nas áreas da Educação, Saúde e Assistência ­Social.