CUT diz que vai fazer enfrentamento e greve contra a reforma da Previdência

Na segunda-feira, 29, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, citou que é possível votar pelo menos parte da reforma encaminhada pelo governo Michel Temer ao Congresso Nacional

Comentar
Compartilhar
30 OUT 2018Por Estadão Conteúdo15h31
Vagner Freitas, presidente da CUTVagner Freitas, presidente da CUTFoto: Divulgação/CUT

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse que a entidade vai fazer enfrentamento e até mobilizar greve contra a proposta de aprovar uma reforma da Previdência ainda este ano. Na segunda-feira, 29, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, citou que é possível votar pelo menos parte da reforma encaminhada pelo governo Michel Temer ao Congresso Nacional.

"Nós vamos fazer enfrentamento e vamos fazer greve contra isso", disse Freitas a jornalistas na sede nacional do PT, onde o partido realiza uma reunião para discutir o resultado das eleições. "Não temos nenhuma concordância com isso, vamos mobilizar a sociedade para não permitir que tenha reforma da Previdência da forma que quer se fazer", declarou o sindicalista ao comentar a proposta de Bolsonaro.