CPI das Fake News da Alesp é prorrogada por 60 dias

Na reunião virtual de quinta-feira (17), presidida pelo deputado estadual Caio França (PSB), a CPI das Fake News do Parlamento Paulista decidiu por unanimidade prorrogar o andamento dos trabalhos

Comentar
Compartilhar
18 SET 2020Por Da Reportagem16h25
Comissão Parlamentar de Inquérito poderá estender seus trabalhos em até dois meses para além do prazo inicial de funcionamentoFoto: Divulgação PSB

Na última reunião virtual realizada nesta quinta-feira (17), presidida pelo deputado estadual Caio França (PSB), a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Fake News do Parlamento Paulista, responsável por apurar casos de notícias falsas nas eleições estaduais de 2018, decidiu por unanimidade prorrogar o andamento dos trabalhos.

Deste modo, a Comissão Parlamentar de Inquérito poderá estender seus trabalhos em até dois meses para além do prazo inicial de funcionamento, fixado em 120 dias para todas as CPIs. Dessa forma, o encerramento está previsto para 06/12.

Durante o encontro, Caio França também colocou em votação o requerimento sugerido pelo deputado Edmir Chedid (DEM), para que as oitivas de candidatos ou convidados envolvidos nas eleições municipais sejam suspensas até o primeiro turno do pleito, em 15 de novembro.

"Estamos claramente tendo um problema com convites feitos para quem está disputando as eleições, independentemente da questão partidária, há um foco neste momento. Então passaremos a priorizar a oitiva de empresários e assessores, explicou o presidente.

Participaram da reunião as deputadas e os deputados Arthur do Val, Carla Morando, Janaina Paschoal, Paulo Fiorilo, Sargento Neri, Thiago Auricchio, Monica da Bancada Ativista e Edmir Chedid.