CPI da JBS aprova relatório que pede investigação de Janot

Com quorum baixo na sessão, a votação do parecer ocorreu de forma simbólica

Comentar
Compartilhar
14 DEZ 2017Por Folhapress18h31
CPI da JBS aprova relatório que pede investigação de JanotCPI da JBS aprova relatório que pede investigação de JanotFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A CPI da JBS aprovou nesta quinta-feira (14), em votação simbólica, o relatório do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), que pede a investigação do ex-procurador geral da República Rodrigo Janot.

Com quorum baixo na sessão, a votação do parecer ocorreu de forma simbólica. O deputado, que teve a posse como ministro da Secretaria de Governo adiada por causa da internação do presidente Michel Temer, confirmou que não pediria o indiciamento de Janot e de seu ex-chefe de gabinete, Eduardo Pelella, como havia inicialmente colocado no relatório.

A versão suavizada posta em votação é fruto de acordos: o governo pressionava pela retirada dos pedidos de indiciamento, e os parlamentares da comissão ameaçavam pedir verificação do quorum, o que derrubaria a sessão e implicaria o encerramento da CPI sem a aprovação de um relatório.

"Eu continuo convicto de que o [ex-]procurador [Geral da República] Janot se utilizou do seu cargo para tentar depor o presidente da República, mas concordo que são necessárias maiores investigações para que fique absolutamente provada a materialidade desse crime", afirmou Marun.

O texto manteve o pedido de indiciamento do ex-procurador Marcelo Miller, dos irmãos Joesley e Wesley Batista da JBS e do lobista Ricardo Saud.

Também foi retirado do texto final trecho que fazia parte do relatório parcial do deputado Wadih Damous e pedia a investigação do advogado Carlos Zucolotto e dos procuradores Carlos Fernando dos Santos Lima, Roberto Pozzobom e Julio Noronha.

Os pedidos tinham como base o depoimento do advogado Rodrigo Tacla Durán, que trabalhou para a Odebrecht e a UTC.