Candidatos dizem que primeiro debate foi positivo

Três dos quatro candidatos à Prefeitura de Santos que participaram do debate promovido pelo Jornal da Rede VTV, no domingo, fizeram um balanço positivo do primeiro encontro transmitido pela TV

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201323h16

Para João Paulo Tavares Papa (PMDB) os temas escolhidos foram pertinentes. “Os temas que foram colocados são de fato os mais importantes para Santos, neste momento. Nós pudemos falar de saúde, um pouco de educação, bastante sobre futuro, e modelos de desenvolvimento. Claro que em alguns momentos é preciso rebater dados que possam ser colocados de forma incorreta, mas houve respeito entre todos os candidatos”.

Quanto às críticas da candidata Maria Lúcia Prandi (PT), que inclusive afirmou que falta planejamento em sua gestão, o candidato à reeleição disse que não ficou surpreso. “Essa tem sido a tônica da campanha de alguns candidatos, pra não dizer de quase todos: a crítica ao Governo. E é natural que isso ocorra porque o Governo de Santos hoje tem bons índices de aprovação e os candidatos procuram se colocar sempre na condição de oposição”.

A candidata Mariângela Duarte (PSB) afirmou ao DL que achou o debate muito tranqüilo. “Eu queria que fosse um pouco mais apaixonante. Eu sou uma pessoa desafiadora, mas já que os dois (Prandi e Papa) resolveram brigar, eu aproveitei para deitar e rolar”, afirmou Mariângela ressaltando que a Cidade está “atrasadíssima em termos de implantação de empresas de tecnologia”.

A candidata do PSB também criticou a organização do debate, mas elogiou a iniciativa da emissora. “Mudaram a regra. Essa regra não é a habitual. Ao mudar demais você fica meio descentrado. Mas, tudo bem, eu achei inovador: só perguntas entre candidatos, então dependendo do sorteio, eu, por exemplo, que fiquei em último lugar, poderia ter sido brutalmente prejudicada, mas a gente conseguiu contornar, e acho que tudo ótimo”.

Mariângela entende que os debates são democráticos e, por isso, lamentou a ausência desses eventos nas emissoras de rádio locais, elogiando a transmissão do debate de domingo pela Rádio Cultura. “Eu lamento que as rádios, instrumentos do povão mesmo, não tenham sido usados nessa campanha”.

Maria Lúcia Prandi (PT) afirmou que “foi um bom debate. A possibilidade de a gente ficar frente e frente com as propostas”. Para Prandi, o debate também foi “respeitoso”, porém, voltou a tecer críticas ao Governo Papa, em entrevista ao DL, após o encerramento do debate. “Minha avaliação é positiva porque tivemos a oportunidade de mostrar as incoerências desse grupo político que está aí há 12 anos, que não planeja, que não cuida da população mais necessitada”.

A candidata Eneida Koury (Psol) não foi localizada por nossa reportagem logo após o encerramento para comentar sobre o debate. Já o candidato Natan Kogos não participou do evento.

O debate foi realizado pelo Jornal da Rede VTV, a partir das 22h45 de domingo e durou aproximadamente duas horas. O debate teve como mediador o jornalista e apresentador Eduardo Barazal. As propostas dos candidatos foram publicadas na edição de ontem, do DL.