Câmara de Santos questiona despejo de lixo

Projeto apresentado por Odair Gonzalez (PR) pretende instalar placas alertando irregularidade

Comentar
Compartilhar
22 NOV 201215h33

“É vergonhoso esse contrato. Um grupo de empresários se acha dono da Cidade. E o dono da Terracom é um deles. Ele pode até mandar em cidade pequena, mas não em Santos”.

O desabafo foi feito ontem pelo vereador santista Marcelo Del Bosco (PPS), ao comentar um projeto sobre descarte irregular de entulho. O parlamentar ainda questionou se estão sendo realizadas campanhas educativas de descarte de lixo e se há visita às galerias pluvial e de esgoto, duas exigências do contrato firmado pela Prefeitura com a empresa responsável pela coleta e destinação final do lixo. 

De autoria do vereador Odair Gonzalez (PR), o projeto sobre descarte irregular avançou. Caso seja aprovado em  discussão final, alguns pontos de Santos, onde há descarte de entulho, vão receber placas alertando da  irregularidade. Os vereadores derrubaram ontem o parecer contrário da Comissão Permanente de Justiça e Redação ao projeto  que segue, agora, para discussão em outras comissões do Legislativo. Gonzalez citou a reportagem publicada no Diário do Litoral no último sábado, mostrando 11 pontos de lixo acumulado em bairros como Paquetá, Macuco e Vila Mathias.
 
17 de novembro - DL publica pontos de descarte irregular de lixo em três bairros da Cidade (Foto: Luiz Torres/DL)
 
Na análise da matéria, sobrou até críticas ao ex-secretário municipal de Meio Ambiente e vereador Fábio Alexandre Nunes, o Professor Fabião (PSB). O vereador Geonísio Pereira Aguiar, o Boquinha (PMDB), afirmou que “um pouco por culpa da Secretaria de Meio Ambiente” faltam pontos de descarte de entulho. “Não tinha dinheiro”, respondeu Fabião.
 
Ar-condicionado
 
Os vereadores também aprovaram ontem, em segunda discussão, projeto do vereador Reinaldo Martins (PT) tornando obrigatória a instalação de aparelhos de ar-condicionado nos ônibus que circulam em Santos, valendo a partir do próximo contrato a ser firmado.

Colunas

Contraponto