Câmara de PG aprova cessão de área para o Instituto Neymar Jr

Em 5 anos, a entidade deve atender até 2 mil crianças da região do Jardim Glória.

Comentar
Compartilhar
11 JAN 201317h09

A Câmara Municipal de Praia Grande aprovou, em duas sessões extraordinárias, realizadas na tarde desta sexta-feira (11), o Projeto de Lei nº 01/13, de autoria do Executivo, que autoriza a concessão de área para a implantação do Instituto Neymar Jr, no Município. A propositura foi confirmada com 16 votos favoráveis e um contrário, do vereador Marco Antonio de Sousa, o Marquinho (PMN). As plenárias, presididas pelo vereador Sergio Luiz Schiano de Sousa, o Serginho Sim (PSB), foram realizadas durante o recesso parlamentar.

A área cedida tem 8.400 metros quadrados, composta pelas quadras 027-A e 027-B, no Jardim Glória. O local é atualmente ocupado pelo Grêmio Municipal. O prazo da concessão é de 30 anos, renovável por mais 30. O concessionário tem prazo de três meses para o início das obras.

Presidente da Comissão de Educação Cultura Esporte e Turismo, o vereador Eduardo Soares de Pádua Jardim, o Edu Sangue Bom (PPS), ressaltou os benefícios do projeto. “O instituto tem clara intenção de promover uma verdadeira transformação social, em um bairro que é tão carente. Não formará apenas atletas, mas cidadãos”, disse. “Porém, não posso deixar de citar que há uma escassez de espaços para a construção de escolas e creches. Por conta disso, a cessão da área para uma instituição que não tivesse um trabalho como este, não teria meu voto favorável”.

A área de abrangência compreenderá os bairros Jardim Glória, Vila Sônia, Guilhermina e Sítio do Campo, contemplando alunos de quatro escolas municipais dos arredores. (Foto: Divulgação/ PMPG)

O vereador Roberto Andrade e Silva, O Betinho (PMDB), comentou sobre a importância do atendimento das famílias. “Muitas vezes se desenvolve um projeto apenas para o jovem e o ambiente familiar não é modificado. No caso do Instituto Neymar, os familiares também serão transformados, ao participarem de atividades e cursos promovidos pela entidade. Por estes benefícios é que afirmo que este não é projeto de um partido, mas de uma Cidade”, destacou.

Contrário ao projeto, o vereador Marco Antonio de Sousa, o Marquinho (PMN), justificou a sua posição. “Não sou contra a instalação do Instituto Neymar, mas sou contra a cessão da área. Há outras prioridades, como escolas e creches no local. Além disso, a lei não especifica as atribuições do instituto. Confio no nome do Neymar, mas não há qualquer obrigação por escrito no texto que estamos votando”.

A vereadora Janaína Ballaris (PT) subiu à tribuna para dizer que o alcance social do projeto ultrapassa qualquer barreira partidária. “Sou oposição ao governo, mas voto a favor deste projeto, que é um bem para a Cidade e para o nosso povo. Fui questionada sobre prioridades como educação e segurança. Mas, a falta de segurança se combate com projetos sociais como este”, concluiu.

Segundo a vereadora, que preside a Comissão de Justiça e Redação, a cessão ocorre dentro da legalidade. “A área é da Prefeitura e não possui qualquer implicação. A cessão está se dando da mesma forma que foi passado ao Grêmio Municipal, em 1991, por meio de Lei Municipal”, ressaltou Janaina.

Instituto Neymar 

A estrutura contará com campo de futebol profissional, quadra poliesportiva, piscina e academia de ginástica, além de outras dependências. A previsão é que em 5 anos, consiga atender 2 mil crianças de 7 a 14 anos e seus familiares, totalizando 10 mil pessoas. As atividades ocorrerão em dois turnos, manhã e tarde, e os grupos serão divididos por faixa etária.

A área de abrangência compreenderá os bairros Jardim Glória, Vila Sônia, Guilhermina e Sítio do Campo, contemplando alunos de quatro escolas municipais dos arredores. Além de ser aluno destas unidades, e ter frequência escolar acima de 90%, também é critério para participar do instituto ser morador desta região e ter renda familiar per capta de até R$ 140,00.

O Instituto não receberá verbas públicas de qualquer esfera, seja federal, estadual, ou municipal. Será mantido por doações e parcerias. Atualmente a Volkswagen do Brasil e o Banco Santander já patrocinam o projeto.