X
Política

Bolsonaro volta a criticar vacinação anticovid em crianças: 'óbito é quase zero'

Nesta semana, devem chegar as primeiras doses do imunizante da Pfizer para esse grupo etário

A aplicação da vacina nessa faixa etária, contudo, foi recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a vacinação de crianças contra a covid-19 nesta segunda-feira, 10. Em entrevista à Rádio Sarandi, do Rio Grande do Sul, o chefe do Executivo disse que a Pfizer, farmacêutica que produz imunizantes para a faixa etária entre 5 e 11 anos, não se responsabiliza por possíveis efeitos colaterais. A aplicação da vacina nessa faixa etária, contudo, foi recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"As crianças podem contrair o vírus, sim, mas quase não sentem. Óbito é quase zero", afirmou Bolsonaro. Dados do próprio Ministério da Saúde, porém, mostram mais de 300 mortes de crianças devido à covid-19. O presidente também voltou a dizer que os pais decidirão se seus filhos serão imunizados ou não.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.


Depois de tentar dificultar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos, ao considerar a exigência de uma prescrição médica, o Ministério da Saúde anunciou que o processo começará ainda em janeiro. Nesta semana, devem chegar as primeiras doses do imunizante da Pfizer para esse grupo etário.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Lagoa da Saudade terá festa com quadrilha, fogueira, comidas típicas e artesanato

1ª Festa Junina da Lagoa da Saudade será realizada neste sábado e domingo (2 e 3 de julho), das 14h às 22h

Brasil

11 Estados e DF entram no STF contra teto de ICMS sobre combustíveis e energia

A ação ocorre depois de São Paulo e Goiás terem saído na frente reduzindo as alíquotas do ICMS

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software